Alpargatas [ALPA3] despenca 15% após queda de 70% no lucro; alta de commodities anima dólar

Fonte: Havaianas/Divulgação

O Ibovespa opera em alta firme nesta sexta-feira (04), mas perde um pouco do ritmo, seguindo a desaceleração das bolsas americanas. Contudo, Nova York logo voltou a acelerar, mas o índice Bovespa, não. 

Após o payroll, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, celebrou o desempenho do relatório mensal de empregos do país. “A alta da taxa de desemprego ajuda na percepção da inflação [arrefecendo]”, diz Marco Noernberg, líder de renda variável da Manchester.

Além do exterior, chama a atenção a virada de sinal para baixo das ações da Petrobras [PETR3; PETR4], que informou ontem lucro e pagamento de dividendos elevados. Os papéis caem cerca de 2% e ocupam posição entre as maiores quedas.

O recuo ocorre apesar da forte valorização do petróleo. “Pode estar refletindo incertezas em relação ao novo governo, pois não se sabe o que acontecerá daqui para frente. Contudo, a lei das S.A.s protege bem empresas como a Petrobras e Banco do Brasil. Ou seja, não deve ser fácil fazer grandes mudanças”, avalia Noernberg. 

O maior destaque negativo é Alpargatas [ALPA3], que lidera a lista de perdas do Ibovespa enquanto cai cerca 15%, com investidores digerindo balanço financeiro do terceiro trimestre de 2022. A dona da Havaianas divulgou lucro líquido de operações continuadas de R$ 44,2 milhões, queda de 70,8% ante o terceiro trimestre de 2021. O Bradesco considerou os resultados fracos. Já analistas do Citi afirmaram que os resultados foram mistos, mas podem levar a revisões de lucros para baixo.

As ações do GPA [PCAR3] recuam quase 6%, também entre as maiores perdas do índice, depois que a empresa registrou prejuízo líquido de R$ 288 milhões no terceiro trimestre de 2022, uma piora de 221,7% na comparação anual. A XP considera que o GPA reportou resultados fracos no terceiro trimestre, com o Ebitda e lucro líquido menores que o esperado frente à resultados mais fracos na Cnova, despesas não operacionais da reestruturação de lojas e contingências. 

Na ponta positiva, quem lidera é Vale [VALE3], que sobe quase 9%, apoiada pela alta acentuada do minério de ferro. Mineradoras e siderúrgicas sobem em bloco e ocupam a lista de ganhos. CSN [CSNA3] vem logo em seguida, também na casa dos 8%. Gerdau [GGBR4], 3R Petroleum [RRRP3], Gerdau Metalúrgica [GOAU4] e Usiminas [USIM5] também sobem cerca de 6% nesta ordem, após São Martinho [SMTO3] e Bradespar [BRAP4].

Desempenho do Ibovespa em 4 de novembro (Fonte: Bloomberg)

O dólar tem queda firme. O mercado de câmbio segue colado à queda do dólar no exterior e responde ainda a ingressos de fluxo cambial. 

A moeda americana recua em âmbito global com perspectivas maiores de desaceleração da alta de juros pelo Federal Reserve (Fed) em dezembro, após o payroll americano mostrar aumento da taxa de desemprego e salário médio por hora dentro do previsto. 

Esses dados trouxeram algum alívio em relação à desaceleração da economia pelo efeito da política monetária apertada do Fed, o que ajuda na queda do dólar ao corroborar a precificação de uma taxa de juros final nos EUA ao redor e até abaixo de 5% ainda em 2023, que já vinha sendo considerada pelos analistas.

Aqui, a alta forte das commodities com possibilidade de relaxamento da política de Covid-zero na China favorece as moedas de países emergentes exportadores de commodities, como o real, e há entradas de capitais estrangeiros voltadas a empresas que divulgaram balanços positivos em diversos setores da economia interna. 

A perspectiva de uma transição de governo pacífica e bem organizada ajuda a tranquilizar também os investidores, que seguem atentos à indicação do ministro da Economia do governo eleito. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o ex-ministro Aloizio Mercadante chegaram há pouco ao Senado para uma reunião do partido sobre a transição de governo. 

🇧🇷 Ibovespa +2,04% (119.281 pontos)

💵 Dólar -1,83% (R$ 5,03)

Cotações registradas às 12h10
 

Commodities

O petróleo opera em alta de cerca de 4%. A commodity é apoiada por renovados rumores de uma possível mudança na política mais dura da China contra a Covid-19, que pesa na atividade local. Além disso, países continuam a negociar um teto nos preços do petróleo da Rússia, para restringir ganhos de Moscou, os quais acabam por financiar a guerra na Ucrânia. 

O minério de ferro voltou aos patamares de US$ 90 com a forte alta do pregão desta sexta-feira.

Os ganhos, depois de um período de sucessivas quedas, também se devem ao plano de medidas de alívio da política de Covid-zero, que vem sendo elaborado na China.

🛢 Brent +3,45% (US$ 97,94)

🛢 WTI +4,06% (US$ 91,75)

🇨🇳 Minério de ferro +4,91% (US$ 91,38)

Cotações registradas às 12h10; minério de ferro referente a Dalian

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?