Ata do Fed gera cautela; isenção para compras internacionais até US$ 50 entra em debate

stock-market-g8d899f047_1920

As bolsas da Europa operam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira (22), na esteira de dados da inflação britânica acima do esperado e pressionadas por uma liquidação de ações do setor automotivo após matéria sobre possível aumento das tarifas chinesas sobre carros importados. Os futuros de Nova York também caem, enquanto investidores aguardam ata do Federal Reserve (Fed) e balanço da Nvidia.

No Reino Unido, a taxa anual de inflação ao consumidor (CPI) desacelerou significativamente em abril, para 2,3%, mas ficou acima do previsto, afetando esperanças de que o Banco da Inglaterra (BoE) comece a reduzir juros a partir de junho. O ING não descarta a hipótese de um corte de juros pelo BoE no mês que vem, mas admite ser mais provável que a redução só venha em agosto.

No meio da tarde de hoje, o Fed publica a ata de sua última reunião de política monetária, quando os juros americanos ficaram inalterados pela sexta vez consecutiva. Diante do comportamento incerto da inflação nos EUA, a aposta é que o Fed não começará a reduzir juros antes de setembro.

Mais cedo, as principais bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em baixa, enquanto investidores também aguardam a ata do Fed.

Por aqui, o relatório de receitas e despesas federal fica em foco, após certo alívio ontem com a arrecadação recorde acumulada nos quatro primeiros meses deste ano, de R$ 886,6 bilhões – o que representou um crescimento de 8,3% em termos reais, ou seja, descontada a inflação. Ainda assim, analistas do mercado veem tendência de desaceleração das receitas e falta de uma ação mais efetiva de cortes de gastos. O dado será divulgado às 15h30.

Na política, o presidente da Câmara, Arthur Lira, disse nesta terça-feira (21) que os grupos de trabalho de regulamentação da reforma tributária não terão um único relator, e que serão duas equipes, com sete deputados cada uma. Segundo Lira, os líderes devem ter hoje uma definição sobre o texto do Mover – Programa Mobilidade Verde e Inovação –, sobre isenção para compras no exterior de até US$ 50.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que o segundo projeto de lei complementar que regulamenta a reforma tributária deve ser enviado ao Congresso na semana que vem, antes do feriado de Corpus Christi. 

Haddad declarou também que as medidas elaboradas pela equipe econômica para compensar a perda arrecadatória com a prorrogação da desoneração da folha dos 17 setores e dos municípios em 2024 devem ser divulgadas nesta semana. Os textos já foram remetidos à Casa Civil.

O líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), afirmou que atua para que os senadores apreciem na semana que vem o projeto de desoneração da folha de pagamentos. 

Paralelamente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sanciona hoje o projeto de lei que reformula o Perse – Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos –, que estabelece teto de R$ 15 bilhões de renúncia fiscal até dezembro de 2026, sem correção da inflação.

 

Desempenho dos principais índices às 9h06:

🇺🇸 S&P Futures -0,14%

🇬🇧 FTSE -0,70%

🇩🇪 DAX -0,28%

🇺🇸 Nasdaq +0,01%

🇫🇷 CAC -0,59%

🛢 Petróleo Brent -1,12%

🛢 Petróleo WTI -1,12%

💵 Índice Dólar +0,22%

🇺🇸 S&P VIX +2,70%

💰 Bitcoin -1,93%

💲 Ethereum -1,61%

 

(Com Broadcast)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?