BDRs: Investimento nas gigantes de Wall Street, sem sair da B3

Fonte. Freepick

O Banco Inter transferiu a base acionária da B3 para a Nasdaq em junho. Aos investidores do Brasil, anteriormente detentores de acesso direto às ações da companhia, surgiram duas opções: abrir conta em corretoras de ações estrangeiras ou investir na companhia através dos Brazilian Depositary Receipts (BDRs).

 Os BDRs são a forma que o brasileiro, especificamente, consegue investir no exterior. O recurso permite investir em gigantes como Apple, Microsoft e Amazon direto da B3 e de corretora brasileira.

Ademais, investimentos internacionais expõem o portfólio a oscilações do câmbio do país de emissão dos ativos, conforme ressalta Marcus Vinicius Leoncio, especialista em renda variável da BS/ BRA. Tal fator faz do BDR uma forma de dolarização da carteira.

Particularidades 

A emissão desses recibos é feita através de duas instituições. A primeira é a Instituição Custodiante, que fica no país de origem. A outra é a Instituição Depositária, que ficará alocada no país que processará esses investimentos. 

 A particularidade dessa forma de investimento são os títulos daquela determinada ação. Imagine um talão de cheques, ele apenas representa uma quantia que está na conta bancária de uma pessoa. Os BDRs funcionam da mesma forma. De forma mais simples, ao comprar esse título, o investidor comprará uma representação, não a ação em si.

 O fato de esses títulos estarem listados em nossa bolsa de valores, B3, é significativo, pois os torna acessíveis aos compradores. As disparidades entre cada um desses títulos e seus níveis de governança também são fatores significativos relacionados ao conhecimento. Os BDRs podem ser classificados de duas maneiras: patrocinados e não patrocinados. 

 Um leque de opções é aberto com a criação desses títulos lastreados em ações de empresas negociadas em outras bolsas do mundo, selando algumas vantagens em realizar aplicações em BDR.

 “Entre as vantagens, podemos mencionar a praticidade de conseguir negociar pelo mesmo homebroker que o investidor negocia ações brasileiras, já que os BDRs são negociados pela B3. Além disso, isso torna o controle de suas posições e a sua declaração de imposto de renda mais simples”, ressaltou Marcus Vinicius.

 Por outro lado, as aplicações em BDRs também possuem algumas desvantagens.“A liquidez é o principal ponto, já que é um mercado relativamente novo, então o volume financeiro negociado ainda é baixo, e isso pode ser um problema principalmente para o investidor que negocia valores mais altos. Além disso, os BDRs cobram taxa de administração, descontado diretamente do preço da cota, o que não acontece quando o investidor negocia diretamente as ações em bolsa americana”, reforçou o especialista Marcus Vinicius.

BDRs Patrocinados

Como o próprio nome sugere, os recibos patrocinados contratam uma empresa depositária para fazer essa intermediação, selando um patrocínio para que seja criado um título que replique uma ação do exterior. Dentro desta categoria, existem diferentes níveis, que podem variar de um a três.

Nível I

Os BDRs de nível um não precisam do registro na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), e também não é necessária a divulgação de resultados e relatórios da empresa. 

Nível II e III

Já nos níveis II e III, é necessário o registro, além de divulgação dos relatórios das empresas para os acionistas, gerando transparência, assim como as outras ações listadas na B3. Na última semana de agosto, os BDRs do Banco Inter migraram do Nível I para o Nível II da B3. 

BDRs não patrocinados

Falar dos títulos não patrocinados é necessariamente dizer sobre a maioria dos recibos que estão listados na B3. Muitas empresas do exterior não quiseram atender aos requisitos da CVM. Por isso existem os BDRs não patrocinados, que atendem ao nível um dos patrocinados.

Neste caso, a instituição depositária também é responsável por divulgar no Brasil as informações corporativas e financeiras da empresa emissora das ações. Assim, a instituição poderá oferecer mais opções de investimentos sem grandes burocracias.

Código de negociação

 Os códigos de negociação dos BDRs na B3 costumam acompanhar os níveis estipulados pela CVM. Eles são identificados por quatro letras, que indicam a empresa referente àquele título. Além disso, os códigos costumam incluir dois números que caracterizam se são patrocinados ou não. 

 A numeração final para aqueles que são patrocinados de nível II terminam com o número 32, enquanto os de nível três finalizam com 33. Já os não patrocinados podem terminar com 34 ou 35.

Como escolher um BDR para investir?

 Agora que o BDR foi definido, é importante traçar alguns critérios para chegar a uma escolha de acordo com o perfil do investidor.

 “Para escolher um bom BDR, o investidor precisa fazer uma análise da mesma forma que faz para escolher uma ação na bolsa brasileira. Ou seja, pode optar por uma análise fundamentalista, estudando os resultados da empresa, seu histórico de crescimento, perspectivas e recorrência na distribuição dos dividendos ou então realizar uma análise técnica, estudando a tendência da ação ao estudar seu gráfico”, orientou Marcus.

 

 

 

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?