Bolsas mistas, emprego americano e produção industrial no Brasil são os assuntos que devem movimentar o mercado hoje

Bolsas mistas, emprego americano e produção industrial no Brasil são os assuntos que devem movimentar o mercado hoje


Com a aprovação da PEC dos Precatórios em dois turnos no Senado o assunto passa a ser parcialmente encerrado, já que, diante das alterações do texto que veio da Câmara, só será promulgado os trechos em comum.

No entanto, a aprovação levou a bolsa brasileira a registrar sua maior valorização diária em 18 meses, avançando 3,6%, mesmo após um resultado do PIB que levou o Brasil a uma recessão técnica.

Hoje, os mercados mundiais amanheceram de forma mista, com os índices futuros nos EUA mistos, enquanto as bolsas da Europa operam em alta e as asiáticas fecharam, majoritariamente, no positivo.

Entre os indicadores, os destaques ficam com a produção industrial de outubro no Brasil, às 9h, que deve avançar entre 0,6% e 0,7% ante setembro.

Além disso, saem os dados do emprego nos EUA (payroll), às 10h30, cuja expectativa é por um avanço de 581 mil vagas adicionadas.

1. Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros americanos se mantêm entre perdas e ganhos nesta sexta-feira (3), à espera do relatório de empregos dos Estados Unidos, à medida que o mercado se aproxima do fim de uma semana de altas e baixas impulsionadas pela variante Ômicron do coronavírus. 

Na quinta, o Dow avançou 617 pontos; o S&P ganhou 1,4%, com destaque positivo para o setor industrial, que avançou 2,89%; e o Nasdaq avançou 0,8%. Na semana, o Nasdaq e o Dow perdem 0,7% cada um; e o S&P recua 0,4%. 

Nesta sexta, às 10h30, deve ser divulgado o relatório de folhas de pagamento (Payroll) relativo a novembro nos Estados Unidos, a taxa de desemprego, o ganho médio por hora trabalhada, o salário médio por hora e a taxa de participação em novembro. A expectativa de analistas ouvidos pela Dow Jones é de que 581 mil vagas sejam adicionadas. 

Na quinta, saíram os dados de novos pedidos de seguro-desemprego, que totalizaram 222 mil na semana encerrada em 27 de novembro, abaixo da expectativa de economistas. 

Já às 11h45 serão divulgados os Índices de Preços ao Consumidor (PMI) composto e do setor de serviços Markit relativos a novembro. Às 12h serão divulgadas encomendas à indústria em outubro e a PMI ISM não-manufatura de novembro. 

Futuros americanos às 7h:

  • Dow Jones Futuro (EUA), +0,1%
  • S&P 500 Futuro (EUA), -0,01%
  • Nasdaq Futuro (EUA), -0,17%

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam a sexta com resultados variados entre si, ainda monitorando a situação em torno da variante Ômicron do coronavírus.

Menos de seis meses após sua estreia, a empresa chinesa de caronas pagas Didi anunciou na sexta que iniciará sua saída da Bolsa de Nova York, planejando ser listada em Hong Kong.

Ações de tecnologia listadas em Hong Kong tiveram fortes quedas. A Tencent recuou 2,58%; o Alibaba perdeu 3,43%; e a Meituan perdeu 2,91%.

Fechamento na Ásia:

  • Nikkei (Japão), +1% (fechado)
  • Shanghai SE (China), +0,94% (fechado)
  • Hang Seng Index (Hong Kong), -0,09% (fechado)
  • Kospi (Coreia do Sul), +0,78% (fechado)

Europa

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança 0,5%, com destaque positivo de papéis do setor de viagens e lazer que ganham mais de 2%. Na quinta, o índice perdeu mais de 1,1%, com perdas de quase 4% do setor de tecnologia.

Dados divulgados nesta semana indicaram inflação recorde ao consumidor na Zona do Euro de 4,9% na comparação mensal. Os preços ao produtor avançaram 5,4% na comparação mensal em outubro, e tiveram alta de 21,9% na comparação anual. Assim, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI na sigla em inglês) deve ficar acima da meta, apesar de autoridades do Banco Central Europeu (BCE) afirmarem que encaram a alta dos preços como transitória.

Bolsas europeias

  • FTSE 100 (Reino Unido), +0,19%
  • Dax (Alemanha), +0,28%
  • CAC 40 (França), +0,2%
  • FTSE MIB (Itália), +0,47%

Commodities e Bitcoin

Os preços do petróleo avançam após a Organização dos Países Produtores de Petróleo e seus aliados (Opep+) decidir manter os planos de elevar a produção em janeiro, apesar do impacto da variante Ômicron sobre a economia e de planos do Federal Reserve e outros bancos centrais de reduzirem o ritmo de suas políticas expansionistas. A Opep+ ressaltou que pretende “continuar a monitorar o mercado de perto e realizar ajustes imediatos se necessário”. Os preços do minério de ferro recuam, apesar de temores quanto à oferta na China.

Preços às 7h:

  • Petróleo WTI, +2,8%, a US$ 68,36 o barril
  • Petróleo Brent, +2,89%, a US$ 71,62 o barril
  • Minério de ferro (contratos futuros na bolsa de Dalian) em queda de 2,08%, a 612,5 iuanes, equivalentes US$ 96,13 (USD/CNY = 6,37)
  • Bitcoin, +0,28%, a US$ 56.879,74

2. Covid

Autoridades de saúde do estado de Minnesota, ao norte dos Estados Unidos, anunciaram na quinta-feira o primeiro caso de transmissão comunitária da variante Ômicron do coronavírus no país, um homem adulto totalmente vacinado que viajou recentemente à cidade de Nova York.

Ele disse a investigadores da agência de saúde estadual que compareceu à convenção Anime NYC 2021 no Centro Javits entre os dias 19 e 21 de novembro e que começou a ter sintomas suaves no dia 22 de novembro.

Assim, o prefeito de Nova York Bill de Blasio afirmou: “deveríamos supor que existe uma transmissão comunitária da variante em nossa cidade”.

Também na quinta-feira, a secretária do Tesouro dos Estados Unidos Janet Yellen afirmou em uma conferência da agência internacional de notícias Reuters que a Ômicron poderia desacelerar o crescimento econômico global, exacerbando problemas na cadeia de suprimento e reprimindo a demanda.

O presidente Joe Biden deve anunciar medidas como prorrogar as exigências para que viajantes usem máscaras até meados de março. Até o início da semana que vem, os EUA exigirão que viajantes estrangeiros ingressando no país façam exames de Covid-19 um dia antes do embarque, seja qual for sua situação vacinal.

Covid no Brasil

Na quinta (2), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 218, alta de 4% em comparação com o patamar de 14 dias antes, segundo dados do consórcio de veículos de imprensa. Em apenas um dia, foram registradas 205 mortes.

A média móvel de novos casos em 7 dias foi de 8.822, o que representa alta de 2% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 12.733 casos.

Chegou a 159.343.702 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 74,7% da população. A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 135.164.013 pessoas, ou 63,36% da população. A dose de reforço foi aplicada em 17.159.509 pessoas, 8,04% da população.

Vacinação

O governo do estado de São Paulo anunciou na quinta-feira que vai reduzir de cinco para quatro meses o intervalo da dose adicional da vacina contra a Covid-19, em meio à detecção de casos da variante Ômicron no estado e com a proximidade das festividades de fim de ano.

Segundo o governo, a medida vai beneficiar cerca de 10 milhões de pessoas que se vacinaram entre os meses de julho e agosto, com as vacinas Coronavac, AstraZeneca e Pfizer. Para os que tomaram o imunizante da Janssen, a dose extra poderá ser aplicada com intervalo a partir de dois meses. Por conta da ausência da vacina da Johnson & Johnson no Brasil, contudo, poderá ser administrada uma dose adicional da Pfizer (vacina de RNA mensageiro).

A prefeitura de São Paulo também anunciou a manutenção da obrigatoriedade do uso de máscara em locais abertos, diante da chegada da nova variante, e cancelou a festa de Réveillon, que acontece toda virada de ano na avenida Paulista.

3. Noticiário político

​​O Senado aprovou na quinta a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Precatórios em segundo turno, por 61 votos a 10, e encerrou, na Casa, a tramitação da medida, que abre um espaço fiscal de R$ 106,1 bilhões em 2022 e permite a implantação do Auxílio Brasil no valor de R$ 400 a partir de dezembro deste ano.

A PEC ainda terá que passar por uma nova votação em dois turnos na Câmara, que deverá se posicionar sobre as alterações feitas no Senado. Anteriormente, havia uma articulação para fatiar a proposta na promulgação. As mudanças feitas no Senado, porém, blindaram esse risco em função da redação feita.

O Senado rejeitou um destaque apresentado pelo PT e manteve o limite de pagamento de despesas com sentenças judiciais imposto pela PEC dos Precatórios. No primeiro turno, o relatório da PEC foi aprovado após um acordo do governo para carimbar o espaço fiscal ao Auxílio Brasil e despesas previdenciárias e limitar o pagamento de precatórios até 2026, e não mais até 2036. Com as concessões, o governo conseguiu votos em bancadas que resistiam a apoiar a PEC.

Entre os seis senadores do PT, houve cinco votos favoráveis no primeiro turno. Jean Paul Prates (RN) se absteve. No Podemos, que chegou a fechar questão contra a PEC e depois liberou a bancada, o texto recebeu no primeiro turno o voto favorável de três dos nove parlamentares: Flávio Arns (PR), Jorge Kajuru (GO) e Marcos do Val (ES).

O PDT, que enfrentou um impasse ao dar votos favoráveis na Câmara, deixou de orientar formalmente a bancada no Senado durante a votação, mas os três senadores da legenda votaram contra a aprovação do texto no primeiro turno.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou a aprovação da PEC dos Precatórios e garantiu que os gastos públicos continuam sob controle. “Tem toda uma conversa fiada de que o Brasil perdeu o controle fiscal. É uma conversa fiada, uma narrativa política, fake news. As verdades fiscais estão lá registradas”, afirmou, em palestra no evento de dez anos de concessões aeroportuárias no Brasil.

Auxílio Brasil

O Senado aprovou também a medida provisória que estabelece o Auxílio Brasil, programa social criado pelo governo em substituição ao Bolsa Família. A MP, que segue à sanção presidencial, precisava ter sua tramitação concluída pelo Congresso Nacional até o dia 7, ou perderia a validade.

O auxílio no valor de R$ 400 em 2022 depende do espaço fiscal que pode ser gerado com a aprovação da PEC dos Precatórios na Câmara, após o dispositivo já ter passado no Senado.

O relator da MP, Roberto Rocha (PSDB-MA), inseriu, a pedido do ministro da Cidadania, João Roma, uma emenda que condiciona o programa e a inclusão automática dos beneficiários elegíveis à disponibilidade fiscal e orçamentária.

O senador considerou a emenda como uma pequena modificação de redação no texto da MP, o que não implicaria em uma necessidade de retorno da medida à Câmara dos Deputados. Senadores discordaram e disseram avaliar que, por se tratar de uma mudança de mérito, a MP teria de voltar à Câmara.

Segundo Bezerra, o temor é de que, sem a exigência na MP do respaldo orçamentário e fiscal, o presidente Jair Bolsonaro se veja obrigado a vetar a proposta, o que impossibilitaria o pagamento do auxílio.

4. Noticiário Econômico

Após os dados do PIB, os destaques ficam hoje com a produção industrial, cujos resultados de outubro saem às 9h. Na sequência, às 10h, serão divulgados os Índices do Gerente de Compras (PMIs) composto e do setor de serviços Markit relativos a novembro.

Ontem, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) trouxe números indicando que o Brasil entrou em recessão técnica. O ministro da Economia, Paulo Guedes, minimizou a retração de 0,1% no PIB, garantindo que o País vai crescer em 2022.

“Dizer que o Brasil não vai crescer é um equívoco. O Brasil vai crescer um pouco menos porque vamos combater a inflação”, afirmou o ministro.

Em outro evento, Guedes criticou os que ele chama de pessimistas e afirmou que parou de ler os jornais para não desanimar.

“Não tenho lido muito para não desanimar porque nos jornais há dois Brasis, um dos críticos e outro dos que veem as coisas de forma mais construtiva”, disse.

Para os construtivos, de acordo com o ministro, existe um Brasil que criou 3,5 milhões de empregos. A visão dos críticos, nas palavras dele, é a de que nada dá certo no País.

5. Radar Corporativo

Inter (BIDI11)

O Inter (BIDI11;BIDI4;BIDI3) informou em fato relevante ontem (2) que não irá implementar mais a sua reorganização societária, que previa a listagem de suas ações na bolsa dos EUA.

“Foi apurado um valor da opção ‘cash-out’ superior a R$ 2 bilhões, de forma que não foi atendida a condição de que o valor total a ser desembolsado para fins de pagamento da opção cash-out não excedesse tal montante”, escreveu.

Assim, a opção pelo resgate das ações, antes de serem convertidas em BDRs e, posteriormente, em ações na Nasdaq, “cash-out”, acabou superando mais de 10% de sua base de acionistas, condição que não poderia acontecer.

Suzano (SUZB3) 

A Suzano (SUZB3) aprovou para o exercício de 2022 no valor total de R$ 13,6 bilhões em sua estimativa de Capex.

Já para o exercício social de 2021 foi mantido o valor de R$ 6,2 bilhões.

Segundo comunicado, a elevação se deve principalmente do investimento no Projeto Cerrado, considerando investimentos industriais, florestais, infraestrutura e logística.

Meliuz (CASH3)

A Meliuz (CASH3) atingiu um recorde histórico de GMV gerado em um único mês, atingindo R$ 923 milhões em novembro de 2021, aumento de 87% contra o mesmo período do ano anterior.

O número de novos compradores também apresentou um forte crescimento de 82% na base anual.

(Com Estadão Conteúdo, Reuters e Bloomberg)

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui. nbsp;

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Receba o TradeNews no seu e-mail

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?