Central de FIIs: XP Properties aluga novos imóveis em Alphaville, IPCA de novembro é o mais alto desde 2015; Ifix opera em alta

Central de FIIs: XP Properties aluga novos imóveis em Alphaville, IPCA de novembro é o mais alto desde 2015; Ifix opera em alta


O último pregão da semana começou com a inflação oficial do País no radar dos investidores. Nesta sexta-feira (10), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de novembro, que subiu 0,95%. Ainda que tenha registrado desaceleração em relação ao resultado de outubro, que foi de 1,25%, a inflação foi a maior para o mês desde 2015 (1,01%).

No ano, o indicador acumula alta de 9,26% e, nos últimos 12 meses, de 10,74%, acima dos 10,67% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. O acumulado em 12 meses, inclusive, foi o maior desde novembro de 2003 (11,02%). Em novembro de 2020, a variação mensal foi de 0,89%.

Assim como o aumento dos juros, a elevação do IPCA tem beneficiado os fundos imobiliários de “papel”, que investem em títulos atrelados aos índices de inflação e à taxa do CDI (certificado de depósito interbancário). Os FIIs de recebíveis lideram a lista dos mais rentáveis em 2021.

Leia mais:

  • Conheça cinco fundos imobiliários de “papel” com preço de entrada atrativo que ainda podem se beneficiar da alta da Selic

Nesta sexta-feira (10), o IFIX – índice dos fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – opera no campo positivo. Às 10h50, o índice subia 0,23%, aos 2.675 pontos. Na sessão de quinta-feira, o indicador fechou em queda de 0,16%. O resultado interrompeu uma sequência de oito elevações seguidas em dezembro.

Maiores altas desta sexta-feira (10):

TickerNomeSetorVariação (%)
BTAL11BTG Pactual AgroOutros2,01
KFOF11Kinea FoFTítulos e Val. Mob.1,51
RFOF11RB CapitalTítulos e Val. Mob.1,47
XPCM11XP Corporate MacaéLajes Corporativas1,46
BTCR11BTG Pactual Credito ImobiliarioTítulos e Val. Mob.1,41

 

Maiores baixas desta sexta-feira (10):

TickerNomeSetorVariação (%)
RBRF11RBR AlphaTítulos e Val. Mob.-1,95
PATC11Pátria Edifícios CorporativosLajes Corporativas-1,94
BRCO11BRESCO LogísticaLogística-1,16
PVBI11VBI Prime PropertiesLajes Corporativas-0,83
TRXF11TRX Real EstateOutros-0,69

Fonte: B3

XP Properties aluga novos espaços em Alphaville, Mogno Real Estate I finaliza venda de empresa e mais

Confira as últimas informações divulgadas por fundos imobiliários em fatos relevantes:

XP Properties (XPPR11) aluga outras duas unidades do Edifício Itower, em Alphaville

O fundo XP Properties anunciou em fato relevante, na quinta-feira (9), que celebrou contrato de locação com a Telefônica Cibersegurança e Tecnologia, empresa de serviços e soluções em cibersegurança.

A empresa ocupará as unidades 103 e 104 do Edifício Itower, no Condomínio Empresarial Iguatemi Alphaville, localizado em Barueri (SP). Os espaços representam uma área bruta locável (ABL) de quase 760 metros quadrados.

O contrato com a Telefônica Cibersegurança tem duração de 60 meses a contar de novembro de 2021.

Pelos cálculos do fundo, a receita bruta acumulada com o contrato nos primeiros 24 meses de vigência será de R$ 0,1316 por cota. Depois do 25º mês, sem considerar a correção inflacionária, a receita estimada é de R$ 0,0060 por cota.

A nova locação reduzirá em 1,26 ponto percentual a vacância do XP Properties, atualmente em 46%, de acordo com último relatório gerencial.

Com 49.791 cotistas, o fundo tem como objetivo obter ganhos com a exploração comercial de empreendimentos em segmentos como lajes corporativas, educação e hospitais.

No mês passado, o XP Properties já havia fechado a locação de outras duas unidades do edifício Itower, 101 e 102, com a Telefônica IOT Big Data e Tecnologia do Brasil, empresa de serviços e soluções em internet das coisas, com prazo de 58 meses.

Mogno Real Estate Impact Development (MGIM11) finaliza venda da Araucária Participações

O fundo Mogno Real Estate Impact Development recebeu, na quinta-feira (9), o pagamento pelas cotas da empresa Araucária Development Participações, que faziam parte do portfólio do fundo.

Descontado o valor do sinal, de R$ 3 milhões, que já havia sido pago, a parte compradora depositou agora o montante de R$ 30 milhões pelo negócio iniciado no dia 12 de novembro.

A holding mantinha compromissos financeiros de quase R$ 29 milhões, valor que será abatido no valor da transação. Desta forma, o impacto do negócio para a receita do fundo será de R$ 4 milhões, equivalente a R$ 16,19 por cota.

V2 Properties (VVPR11) dá sequência à compra de espaço ocupado pela Dengo do Brasil

O Fundo V2 Properties realizou o pagamento de parcela de R$ 100 mil que estava prevista no contrato para a compra de um imóvel na Avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo (SP).

A compra do espaço, de 1,5 mil metros quadrados, foi iniciada em outubro e o valor da operação está estimado em R$ 26 milhões.

O local está alugado para a Dengo do Brasil, empresa do ramo de chocolates, até 2035. O valor atual do aluguel é de R$ 182 mil por mês, que representa um acréscimo na distribuição de rendimentos do fundo de aproximadamente R$ 0,10%.

A parcela de R$ 100 mil, que foi corrigida pelo CDI (certificado de depósito interbancário), já estava reservada no caixa do fundo, que descarta qualquer impacto financeiro nas receitas da carteira.

A carteira do V2 Properties atualmente é composta por seis imóveis nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia que somam uma ABL de 42 mil metros quadrados.

Com vacância zero, o fundo atua tanto nos segmentos de lajes corporativas como no logístico. O portfólio tem também CRIs (certificados de recebíveis imobiliários), totalizando um patrimônio líquido de R$ 238 milhões.

Dividendos de hoje

Confira os fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta sexta-feira (10):

TickerFundoRendimento (R$)
FIIB11Industrial do Brasil3,36
HABT11Habitat II1,15

Fonte: InfoMoney

Giro imobiliário: Valor de mercado dos fundos imobiliários não acompanha crescimento do patrimônio líquido dos FIIs

O patrimônio líquido dos fundos imobiliários bateu recorde em outubro, alcançando R$ 167 bilhões. O número é R$ 5 bilhões superior ao topo anterior, registrado em junho de 2021. A informação faz parte de boletim mensal divulgado pela B3.

Apesar do crescimento do patrimônio líquido, o valor de mercado dos fundos imobiliários caiu entre setembro e outubro, de R$ 132 bilhões para R$ 130 bilhões.

Já as pessoas físicas seguem como protagonistas do segmento de FIIs. O mercado ganhou, em novembro, 11 mil novos investidores em fundos imobiliários. Um total de 1,514 milhão de brasileiros investem no produto atualmente. Em dezembro de 2020, o número era de 1,17 milhão.

Leia mais:

  • Patrimônio dos fundos imobiliários bate recorde em outubro, mas valor de mercado ainda cai, aponta B3

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Receba o TradeNews no seu e-mail

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?