De olho na reunião do Copom, Ibovespa opera em alta

Meio de pregão

No dia da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), o Ibovespa passou a subir no início da tarde desta quarta-feira (08), retomando a marca dos 129 mil pontos da abertura, diante da valorização das ações da Petrobras [PETR3;PETR4], com o petróleo mirando alta e a melhora das bolsas americanas. 

Além disso, investidores aguardam discursos de diretores do Federal Reserve (Fed), em busca de sinais sobre quando os juros americanos começarão a cair. Por aqui, prossegue a divisão em relação ao recuo esperado na taxa Selic, no início da noite, elevando a expectativa pelo comunicado do Copom.

No cenário corporativo, as ações da BRF [BRFS3] operam em forte alta de mais de 13%. A companhia superou estimativas para lucro líquido no primeiro trimestre, com R$ 593,7 milhões ante prejuízo de R$ 1 bilhão ano a ano e projeção de R$ 373,8 milhões. O Ebitda ajustado mais que triplicou em relação ao mesmo período do ano anterior, já que a empresa se beneficiou de custos mais baixos e preços de venda mais elevados.

Simultaneamente, os ativos da Suzano [SUZB3] sobem, após a empresa dizer que não há documento formal ou celebração de qualquer acordo com a International Paper, em esclarecimento à CVM. 

Os papéis da Engie [EGIE3] também avançam. Na avaliação do Safra, os resultados do 1T24 foram impactados positivamente pela venda de participação na TAG, anunciada no final de 2023 e concluída em janeiro.

Ao mesmo tempo, as ações da Lojas Renner [LREN3] operam em alta. Os agentes aguardam o balanço da empresa no 1T24, que será informado após o fechamento do pregão. 

Por outro lado, os ativos da Telefônica [VIVT3] despencam mais de 5%. De acordo com o Santander, os dados abaixo do previsto no 1T24 foram motivados ainda por despesas operacionais maiores do que estimado, apontando surpresa negativa neste item. Por outro lado, a instituição mencionou crescimento da receita líquida em nível que avalia como saudável.

Conjuntamente, as ações da Ambev [ABEV3] operam em queda, após a companhia ter registrado Ebitda ajustado de R$ 6,5 bilhões no primeiro trimestre, em linha com estimativas. O lucro líquido ajustado foi de R$ 3,8 bilhões, uma queda de 0,6% na comparação anual.

Os ativos do Pão de Açúcar [PCAR3] também caem. O grupo anunciou Ebitda ajustado de R$ 380 milhões no primeiro trimestre, uma alta de 70% na comparação anual. Ademais, a companhia teve prejuízo líquido de R$ 660 milhões no período, ante perda de R$ 248 milhões um ano antes.

Por fim, os papéis do Carrefour [CRFB3] odescem, depois da companhia registrar lucro líquido de R$ 39 milhões no primeiro trimestre. No mesmo período no ano anterior, a companhia teve prejuízo líquido de R$ 113 milhões.

Fora do Ibovespa, as ações da Oncoclínicas [ONCO3] despencam mais de 14%, penalizados após uma prévia de resultados divulgada pelo Bank of America Merrill Lynch (BofA) sinalizar uma queima de caixa elevada para o primeiro trimestre, de R$ 420 milhões. A companhia divulga seus resultados no dia 13.

🇧🇷 Ibovespa +0,04% (129.251 pontos)

💵 Dólar +0,37% (R$ 5,08)

Commodities

Os contratos futuros do petróleo estendem o ganho de fôlego visto logo após a publicação do relatório semanal de estoques nos Estados Unidos, do Departamento de Energia (DoE).

Na bolsa de Cingapura, o minério de ferro de referência de junho caiu mais de 2,5%.

🛢 Brent/Julho +0,40% (US$ 83,50)

🛢 WTI/Junho +0,64% (US$ 78,88)

🇸🇬 Minério de ferro -2,63% (US$ 115,10)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?