Europa opera na esteira de balanços; Copom endossa aposta de fim de ciclo de alta

Fonte: Nova Futura


As bolsas da Europa operam majoritariamente em alta nesta quinta-feira (04), na esteira de balanços corporativos melhores que o esperado. Os futuros de Nova York registram estabilidade, em busca de direção após forte recuperação de Wall Street ontem (03).

Nas praças europeias, o Banco da Inglaterra (BoE) anunciou uma elevação de 0,5 p. p. na taxa juros, a 1,75%, para combater a persistente inflação do Reino Unido.

Diante da persistência da alta inflação no país, o BoE  elevar seus juros básicos no maior nível desde fevereiro de 1995, como já era esperado por analistas. Apesar dessa amplitude representar a aposta majoritária entre as previsões, as casas não descartavam uma possível surpresa com aumento mais modesto, de 0,25 ponto percentual. As expectativas quanto ao forward guidance, por sua vez eram mistas.

No fim do mês passado, o presidente da autoridade monetária, Andrew Bailey disse, que uma elevação em meio ponto percentual seria uma das opções para esta decisão monetária. Em discurso na Maison House, Bailey enfatizou o compromisso do BoE em levar a inflação de volta à meta de 2%, Em junho, a inflação ao consumidor britânico teve salto anual de 9,4%, na leitura mais alta em 40 anos.

Em Frankfurt, a ação da Lufthansa subiu 3,8%, após a empresa aérea alemã voltar a lucrar no segundo trimestre. A companhia teve lucro líquido de 259 milhões de euros no 2T22, revertendo prejuízo de 756 milhões de euros de igual período do ano passado. O Ebitda ajustado da empresa ficou positivo em 393 milhões de euros entre abril e junho, contrastando com resultado negativo de 827 milhões de euros um ano antes.

Em Paris, o papel do Crédit Agricole saltou 4,1%, uma vez que o banco francês superou expectativas de lucro e receita. O banco teve lucro líquido de 1,98 bilhão de euros no segundo trimestre desse ano, ligeiramente acima do ganho de 1,97 bilhão de euros apurado em igual período do ano passado. O resultado superou de longe o consenso de analistas consultados pela FactSet, de 1,26 bilhão de euros.

Já a receita da instituição francesa teve expansão anual de 8% entre abril e junho, a 6,33 bilhões de euros, também acima da projeção da FactSet, de 5,64 bilhões de euros.

Em Londres, a ação da Glencore teve alta de 1,7%, após a mineradora anglo-suíça ampliar fortemente seu lucro semestral e anunciar um retorno extra de cerca de US$ 4,5 bilhões para seus acionistas. A empresa teve lucro líquido de US$ 12,09 bilhões no primeiro semestre de 2022, múltiplas vezes maior do que o ganho de US$ 1,28 bilhão apurado em igual período do ano passado, resultado atribuído principalmente ao bom desempenho dos negócios de carvão.

Em Nova York, um fator que pode ajudar a diminuir a volatilidade do mercado nos próximos meses é a exposição limitada a ações entre investidores institucionais, que no início deste ano correram para cortar suas alocações de ações enquanto o Fed aumentava as expectativas de que combateria a inflação com aumentos nas taxas de juros.

Apesar do salto recente, a exposição dos grandes investidores às ações permanece baixa. O posicionamento de ações para investidores discricionários e sistemáticos permanece no 12º percentil de sua faixa desde janeiro de 2010, de acordo com uma nota de 29 de julho de analistas do Deutsche Bank.

“O posicionamento institucional em ações está no limite inferior de sua faixa histórica”, disse Anand Omprakash, chefe de derivativos e estratégia quantitativa da Elevation Securities. “Você tem uma situação em que o catalisador para uma quebra explosiva de ações não é tão influente quanto poderia ter sido no passado.”

Ontem, as bolsas de Wall Street fecharam em alta, com acionistas acompanhando falas de diversos dirigentes do Federal Reserve e resultados dos índices de gerentes de compras americanos. O fim da viagem da presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, trouxe algum alívio aos mercados.

A agenda do dia conta com a publicação da balança comercial dos Estados Unidos e a fala da presidente do Federal Reserve de Cleveland, Loretta Mester.  Seguem no radar ainda as tensões entre EUA e China. Como prometido, a China iniciou hoje manobras militares nos arredores de Taiwan, que Pequim considera ser parte do território chinês.

As bolsas da Ásia fecharam em alta, acompanhando o rali em Wall Street na sessão anterior. O arrefecimento de tensões geopolíticas ante o fim da viagem de Nancy Pelosi pelo continente asiático também colaborou para o impulso nas praças locais.

Por aqui, o Comitê de Política Monetária (Copom) endossou o consenso das apostas ao elevar a Selic em 0,50 ponto percentual, para 13,75% ao ano, e trouxe um comunicado considerado “dovish” pela maioria do mercado, que levou boa parte dos agentes a acreditar que o ciclo de ajuste monetário terminou. Tal leitura tende a provocar forte reação dos vértices intermediários da curva de juros, dado que a precificação de um novo aumento da Selic, em 0,25 p. p., para 14,0%, em setembro era majoritária nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI).

Entre os profissionais da área de renda fixa, a percepção é de que o DI para janeiro de 2024, por exemplo, deve ter forte alívio, entre 0,15 e 0,20 p. p., com o mercado limpando apostas para novos aumentos da taxa básica. Considerando apenas o “efeito Copom”, a tendência é a curva inclinar, com a ponta longa avançando, na medida em que nesta quarta-feira as taxas dos contratos deste trecho recuaram, com os players aguardando um BC mais conservador.

A Embraer (EMBR3) reportou no 2T22 queda de 27% da receita líquida na aviação comercial, para R$ 1,4 bilhão. O resultado se deve a menos entregas de aeronaves no período, a companhia explicou em balanço. De abril a junho, a margem bruta consolidada do segmento foi de 13,2%, ante 4,7% reportados um ano antes.

A aviação executiva apresentou receita de R$ 1,3 bilhão no segundo trimestre, queda de 4% na comparação anual. Com isso, a margem bruta consolidada do período foi de 22,2% no segmento, ante 17,4% reportados um ano antes, devido a maiores preços, informa a fabricante.

Já o segmento de defesa & segurança reportou queda de receita de 31%, para R$ 629,2 milhões, impactada principalmente por menos entregas de Super Tucanos e receitas. A margem bruta consolidada no segmento foi de 28,2% no período, inferior aos 33,9% reportados no mesmo período de 2021.

Após a Ultrapar (UGPA3) divulgar na quarta-feira, os resultados do segundo trimestre depois do encerramento do pregão, o Goldman Sachs reiterou a recomendação de compra para as ações da companhia. O banco tem preço-alvo de R$ 16,20 por papel, alta potencial de 20,4% sobre o último fechamento.

“Vemos a Ultrapar negociando com valuation pouco exigente de 5,6 vezes o valor da empresa pelo Ebitda em 2023, cerca de 40% abaixo de seu múltiplo médio histórico de oito anos”, afirmam os analistas Bruno Amorim, João Frizo e Guilherme Costa Martins, que assinam o relatório do banco. Ainda assim, mantém a preferência pela Petrobras (PETR3; PETR4) entre as empresas do setor sob a cobertura da casa.

O indicador de antecedente de emprego, divulgado pela FGV, caiu 0,8 ponto em julho comparado a junho, a 81,1 ponto.

Nos balanços, destaque para os resultados de Bradesco (BBDC4), Alpargatas (ALPA4), Lojas Renner (LREN3), AES Brasil (AESB3) e Fleury (FLRY3).

Desempenho dos principais índices às 8h05:

🇺🇸 S&P Futures +0,25%

🇩🇪 DAX +1,27%

🇺🇸 Nasdaq +0,44%

🇬🇧 FTSE +0,47%

🇫🇷 CAC +1,03%

🛢 Petróleo Brent +0,22%

🛢 Petróleo WTI +0,68%

💵 Índice Dólar -0,12%

🇺🇸 S&P VIX -0,64%

🇧🇷 EWZ +0,46%

💰 Bitcoin -2,29%

💲 Ethereum -2,49%

 

(Com Reuters e Agência Estado)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
PUBLICIDADE

Related Posts

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE