Fique de olho em Assaí [ASAI3], Copasa [CSMG3] e Copel [CPLE6]

bolsa

Entre os destaques corporativos desta sexta-feira (31), o conselho de administração de Assaí aprovou a 10ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária.

Assaí [ASAI3]

O conselho de administração de Assaí aprovou a 10ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em série única, com valor nominal unitário de R$ 1.000,00, que totalizam o montante total de R$ 1.800.000.000,00.

Títulos serão objeto de distribuição pública pelo rito de registro automático de distribuição.

As debêntures terão prazo de vencimento de cinco anos contados da data de emissão.

Sobre o Valor Nominal Unitário ou saldo do Valor Nominal Unitário das Debêntures, conforme o caso, incidirão juros remuneratórios correspondentes à variação acumulada de 100% das taxas médias diárias do DI – Depósito Interfinanceiro de um dia, “over extra-grupo”, expressas na forma percentual ao ano, base 252 dias úteis, calculadas e divulgadas diariamente pela B3 S.A. – Brasil, 2 Bolsa, Balcão (B3), acrescida de sobretaxa (spread) de 1,25 ao ano, base de 252 dias úteis.

Copasa [CSMG3]

A Copasa firmou um acordo com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) para ter acesso a linha de financiamento de R$ 1,12 bilhão (200 milhões de euros).

Recursos serão utilizados em ações de melhoria de sistemas de abastecimento de água e de ampliação da rede de tratamento e coleta de esgoto em todos os municípios atendidos pela companhia, bem como de preservação hídrica e de inclusão social.

Copel [CPLE6]

A Copel informou que a Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aprovou sem restrições a aquisição pela Âmbar Energia S.A da totalidade das ações da UEG Araucária (UEGA).

A decisão vai transitar em julgado após quinze dias a contar da data da publicação no Diário Oficial da União (DOU).

A aquisição deriva da aceitação da proposta vinculante recebida pela companhia, no valor total de R$ 395,0 milhões, na data-base de 30 de setembro de 2023.

O equity value (EV) foi informado em R$ 358,0 milhões, considerada uma dívida liquida de R$ 37,0 milhões na mesma data-base.

Petrobras [PETR4]

Nesta quarta-feira, 29 de maio, a Petrobras assinou um contrato para cessão da totalidade de sua participação acionária de 30% na Brentech para a Enegen, sócia da estatal na Brentech e detentora de 70% da participação acionária na empresa.

O fechamento da transação ocorreu com a assinatura do contrato de compra e venda das ações, sem condições precedentes a serem cumpridas, pelo valor de R$ 10,6 milhões, pago integralmente nesta mesma data.

A transação se alinha a estratégia da Petrobras de descarbonização das operações, otimização do portfólio termelétrico e priorização de investimentos em usinas termelétricas a gás natural com alta eficiência.

Dado que a UTE Goiânia II, por sua vez, se move a óleo diesel e sem qualquer sinergia com nossas atividades, a empresa não possui aderência à estratégia da Petrobras, que busca integração e migração para um portfólio de menor pegada de carbono.

RNI [RDNI3]

Clovis Antonio Sant’Anna Filho deixou de fazer parte do quadro da RNI Negócios Imobiliários.

Em razões de novos desafios a serem assumidos, a companhia promoveu alterações na estrutura da área técnica da RNI, em continuidade ao processo de reestruturação e fortalecimento de governança corporativa.

Rumo [RAIL3]

A Rumo celebrou acordo vinculante para alienação da sua participação acionária de 50% no capital do TERMINAL XXXIX DE SANTOS S.A. (T-XXXIX) para consórcio formado entre Bunge Alimentos S.A. e Zen-Noh Grain Corporation.

O montante relativo à participação alienada soma R$ 600 milhões, correspondente a um equity value de aproximadamente R$ 550 milhões, sujeito às disposições e eventuais ajustes previstos.

A conclusão da transação se sujeita ao cumprimento de condições precedentes usuais para esse tipo de operação, que incluem aprovações legais e regulatórias.

Para a companhia, a alienação da participação no T-XXXIX representa um movimento de disciplina financeira e reciclagem de capital, e fortalece a posição de caixa para concentrar esforços em projetos que sustentem o programa de aumento de capacidade em curso e fortaleçam a competitividade estrutural do modal ferroviário.

Sequoia [SEQL3]

A partir desta sexta-feira, 31 de maio, com o fim do prazo de ajuste para que os acionistas da Sequoia titulares de ações em quantidades inferiores a 20 (vinte) ajustem as suas respectivas posições, as ações passarão a ser negociadas exclusivamente em forma grupada.

Com isso, totaliza-se, 19.515.945 ações ordinárias (ON), escriturais e sem valor nominal.

As eventuais frações de ações identificadas após o grupamento de ações, e que não foram ajustadas pelos respectivos até o fim do prazo de ajuste, serão identificadas e agrupadas em número inteiros e vendidas pela companhia em leilão a ser realizado na B3.

Deste modo, o resultado líquido do leilão vai ser rateado entre os titulares das frações agrupadas, na proporção das suas frações.

Tenda [TEND3]

A agência de classificação de risco de crédito S&P Global Ratings elevou os ratings de crédito de emissor e de emissão na Escala Nacional Brasil da Tenda, de ‘brBBB’ para ‘brA-’, com perspectiva estável.

A elevação do rating baseia-se na expectativa de que a Tenda vai continuar a apresentar constante melhora em seus resultados operacionais e em sua rentabilidade nos próximos trimestres, com geração de caixa operacional crescente.

Viveo [VVEO3]

À assembleia-geral extraordinária (AGE) a ser realizada em 21 de junho de 2024, a administração da Viveo propõe aumentar o número do conselho de administração de cinco para seis membros e, ainda, a eleição de Jerome Paul Jacques Cadier como membro independente do colegiado.

O estatuto social dispõe que o CA deve ser composto por, no mínimo, três e, no máximo, sete membros.

Os acionistas, por ocasião de assembleia-geral realizada em 28 de abril retrasado, estabeleceram em cinco o número de membros para formação do CA e elegeu os atuais membros, com mandato de dois anos até a assembleia-geral ordinária (AGO) a ser realizada em 2025.

PetroRecôncavo [RECV3]

O conselho de administração da PetroRecôncavo, em reunião realizada nesta quarta-feira, 29 de maio, aprovou a distribuição de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor bruto de R$ 410.000.000,00, correspondente ao valor bruto de R$ 1,39882 por ação ordinária, sujeito à retenção de imposto de renda (IR) na fonte, exceto para os acionistas que comprovadamente não estiverem sujeitos à incidência do tributo, na forma da legislação aplicável.

O valor por ação pode ser modificado para atender ao exercício de opções de compra de ações outorgadas com base nos Planos de Opção de Compra de Ações e/ou por eventual aquisição de ações dentro do Programa de Recompra de Ações.

Farão jus ao recebimento de juros sobre o capital próprio os acionistas inscritos nos registros da companhia na próxima terça-feira, 5 de junho.

Nubank [ROXO34]

O Nubank foi incluído pela terceira vez na lista das 100 empresas mais influentes do mundo da revista Time.

Classificada na categoria “Titãs”, a fintech brasileira se destaca ao lado de gigantes como Intel, Amazon, Airbus, BYD, TikTok e Disney, sendo a única representante da América Latina nesse grupo.

A revista Time elogia o Nubank por focar no público desbancarizado e se tornar a primeira fintech fora da Ásia a alcançar 100 milhões de clientes, com 92 milhões no Brasil.

SmartFit [SMFT3]

A SmartFit anunciou nesta sexta-feira (31), que a Fitch Ratings elevou seu Rating Nacional de Longo Prazo de “AA(bra)” para “AA+(bra)”, com perspectiva estável.

A elevação também inclui a 8ª e a 9ª emissão de debêntures da empresa.

Raízen [RAIZ4]

A Raízen comunicou nesta sexta-feira (31), que o Wellington Management comprou novo montante de ações preferenciais (PN) da companhia e passou a deter um total de 68.597.337 de ações, o equivalente a 5,05% do total das papeís desse tipo.

Lupatech [LUPA3]

A Lupatech anunciou nesta sexta-feira (31), a prorrogação e expansão de seus contratos com a Petrobras. Os aditivos contratuais, que envolvem o fornecimento de válvulas específicas, estendem a duração dos contratos por mais 365 dias e aumentam o volume de fornecimento, possibilitando vendas de até R$ 77,2 milhões.

Para a Lupatech, essa prorrogação como uma oportunidade significativa para fortalecer sua posição no mercado de petróleo e gás.

Alliança [AALR3]

A Alliança Saúde anunciou nesta sexta-feira (31), a suspensão das deliberações de sua Assembleia-Geral Extraordinária, realizada no dia 29 de maio.

A decisão foi tomada após a identificação de divergências na interpretação de obrigações relacionadas a emissões de dívidas da empresa, afetando a recente celebração de um Contrato de Permuta com o Fonte de Saúde Fundo de Investimento Participações Multiestratégia (Fonte de Saúde FIP).

“Entendemos que a suspensão dos atos relativos à deliberação e consequente implementação da operação, ao menos até que sanadas tais divergências, constitui a medida mais adequada a ser adotada para preservação do melhor interesse social”, afirmou o conselho de administração da empresa.

Banco do Brasil [BBAS3]

O Banco do Brasil comprou 23,3 mil créditos de carbono, no valor de R$ 1,2 milhão, de um empreendimento suspeito de grilagem e fraudes no Amapá e no Pará, apurou o jornalista Vinicius Sassine da Folha de S.Paulo.

Segundo o veículo, a compra foi feita em maio de 2023 e serviu para compensações de emissões de CO2 da instituição pública, relacionadas, por exemplo, a geração de lixo e combustão por carros.

O Banco do Brasil pagou, conforme a apuração, R$ 51,30 por cada um dos 23.391 créditos de carbono gerados pelo projeto Jari Amapá, desenvolvido na Amazônia oriental.

Armac [ARML3]

A Armac anunciou, na última quinta-feira (30), que celebrou contrato para a comprar 65% das ações da Terram Engenharia de Infraestrutura, com opção de adquirir 35% restantes em 2029.

Inicialmente, essa operação atribui um valor de R$ 100 milhões à totalidade das ações da Terram, que não possui endividamento.

Os 65% adquiridos pela Armac serão pagos 50% à vista (R$ 32,5 milhões), no fechamento da operação, e o saldo dividido em quatro parcelas semestrais sucessivas, sujeitas a retenção de valores correspondentes a eventuais contingências.

Mater Dei [MATD3]

O Hospital Mater Dei informou, na última quinta-feira (30), sobre a celebração de um contrato em que se comprometeu a vender a totalidade da sua participação, equivalente a 70% do capital social, no Hospital Porto Dias, em Belém.

O valor da operação é de R$ 410 milhões.

“A operação reforça a disciplina financeira da companhia, através do ajuste de portifólio em um momento de desafios do setor, diminuindo a exposição à riscos e fortalecendo a posição de caixa com uma melhora no contas a receber, capital de giro e endividamento”, destacou a empresa.

Neoenergia [NEOE3]

A Neoenergia e a Companhia Energética do Rio Grande do Norte – COSERN anunciaram, nesta sexta-feira (31), a continuidade do processo de oferta pública de ações (OPA) com um novo preço por ação, após a avaliação da Grant Thornton Corporate Consultores de Negócios.

A avaliação realizado pela agência apurou valores superiores aos inicialmente propostos pela Neoenergia. Com isso, os preços atualizados para as ações da Cosern são os seguintes:

  • R$ 15,33 por ação ordinária;
  • R$ 16,86 por ação preferencial classe A;
  • R$ 16,86 por ação preferencial classe B.

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?