Fundos imobiliários de “papel” ganham espaço e representam 42% do Ifix; saiba no que investem os 6 que entraram no índice

Fundos imobiliários de “papel” ganham espaço e representam 42% do Ifix; saiba no que investem os 6 que entraram no índice

[ad_1]

A nova composição do IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – entrou em vigor nesta segunda-feira (3) com um fundo a mais do que a carteira que encerrou 2021. O indicador ganhou também novos fundos de “papel”, que já eram maioria no indicador.

A carteira teórica que vai vigorar até o dia 29 de abril de 2022 trouxe a saída de cinco fundos e a entrada de seis. Com a mudança, o Ifix passa a contar com 104 fundos.

A nova composição reforçou o protagonismo dos fundos de “papel” no índice. Este tipo de FII, que investe em títulos de renda fixa e em certificados de recebíveis imobiliários (CRIs), já respondia por cerca de 40% do índice.

Segmentodez/21jan/22
Títulos e Val. Mob.4144
Outros1616
Híbrido1616
Logística1213
Lajes Corporativas129
Shoppings66

Fonte: InfoMoney

Na lista dos que deixaram o Ifix, estão três fundos do segmento de lajes corporativas, um de “papel” e um da área educacional. São eles: CSHG Prime Offices (HGPO11), , Pátria Edifícios Corporativos (PATC11), RB Capital (RFOF11) e o Continental Square Faria Lima (FLMA11). O Rio Bravo Renda Educacional (RBED11), que também deixa a carteira, era o único representante dos FIIs que investe quase exclusivamente em imóveis na área de educação, uma espécie de “lobo solitário do Ifix”.

Leia mais:

  • Agências bancárias, universidades, desenvolvimento: conheça os “lobos solitários” dos fundos imobiliários

Quatro fundos de “papel” entraram no novo Ifix, além de um FoF e um de logística. Conheça um pouco mais cada um deles:

Valora Hedge Fund ( VGHF11)

O Valora Hedge começou a operar em fevereiro de 2021 e hoje conta com uma base de 27.861 cotistas.

Com um patrimônio líquido R$ 314 milhões, o fundo investe principalmente em CRIs, que representam 56% do portfólio atual. A carteira ainda conta com outros títulos de renda fixa e cotas de outros fundos imobiliários.

Do segmento de recebíveis, o fundo é administrado pelo Banco Daycoval e o volume médio diário de negociação do Valora Hedge girava em torno de R$ 840 mil em 2021.

Suno Fundo de Fundos ( SNFF11)

Criado em maio de 2021, o fundo tem o objetivo de investir em cotas de outros fundos de investimento imobiliário e hoje conta com um patrimônio líquido de R$ 215 milhões

Atualmente, as maiores posições do fundo estão no Suno Recebíveis (SNCI11) (6,2%), REC Recebíveis (RECR11) (6,10%) e no Alianza Trust Renda Imobiliária (ALZR11) (5,22%). Entre os tipos de FIIs, os fundos de “papel” respondem por 30% do portfólio do fundo.

Os 30.375 cotistas do fundo tem atualmente um retorno com dividendos de 9,88% em doze meses. O Suno FoF é administrado pelo BTG Pactual e tem liquidez diária de R$ 794 mil.

NCH EQI High Yield ( EQIN11),

Do tipo “papel”, o fundo investe em CRIs e atualmente administra um patrimônio líquido de R$ 138 milhões.

Iniciado em novembro de 2013, o fundo também é administrado pelo BTG Pactual e conta com 7.214 cotistas.

Os recebíveis da carteira do NCH EQI estão 86% indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A liquidez média diária do fundo atualmente na Bolsa é de R$ 540 mil e retorno com dividendos em 12,88% nos últimos12 meses.

AF Invest Cri ( AFHI11)

Com início de operação em abril do ano passado, o AF Invest é mais um fundo que investe em CRIs e administrado pelo BTG Pactual.

De acordo com relatório gerencial de dezembro, a carteira do fundo está 89% indexada ao IPCA. 39% dos recebíveis do portfólio são do tipo High Yield, que oferecem maior risco.

Atualmente, o patrimônio líquido do fundo é de R$ 176 milhões e a base de cotistas está em 5.607. O retorno com dividendos em 2021 ficou em 15,27%.

BlueMacaw Logística (BLMG11)

Com 4.602 cotistas, o fundo imobiliário administrado pela Vortx Distribuidora obtém renda com aluguéis de galpões logísticos ou a com a venda dos imóveis.

O portfólio é composto por quatro imóveis que, juntos, somam uma área bruta locável (ABL) de 285 mil metros quadrados. De acordo com o BlueMacaw Logística, os imóveis estão avaliados em R$ 1 bilhão.

Entre os inquilinos do fundo atualmente estão empresas como a Via Varejo, Toyota, Mercado Livre e Dafiti.

Em 12 meses, o retorno com dividendos do fundo está em 9,3%. A liquidez média do fundo é de R$ 727 mil.

HSI Ativos Financeiros ( HSAF11)

O fundo HSI teve início em setembro de 2020 e investe em CRIs, cotas de outros fundos e títulos de renda fixa. Administrado pela BRL Trust, o fundo tem hoje 4.886 cotistas.

Em novembro, o patrimônio do HSI estava estimado em R$ 166 milhões e a liquidez diária era de R$ 430 mil.

Os CRIs respondem por quase 70% do portfólio do fundo e as cotas de outros FIIs, 23%. Em 12 meses, o retorno com dividendos do HSI ficou em 12,75%.

Maiores participações no Ifix

Fundo com maior peso no índice, o Kinea Índices Preços (KNIP11) aumentou ainda mais a participação na carteira, de 5,9% para 6,7%. Na sequência, aparecem Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), CSHG Logística (HGLG11), Iridium Recebíveis (IRDM11) e Kinea Renda Imobiliária(KNRI11).

A B3 divulga regularmente três prévias das novas composições dos índices: a primeira prévia, no primeiro pregão do último mês de vigência da carteira em vigor; a segunda prévia, no pregão seguinte ao dia 15 do último mês de vigência da carteira em vigor; e a terceira prévia, no penúltimo pregão de vigência da carteira em vigor.

[ad_2]

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?