Ibovespa acelera em meio a ânimo pós-eleições; Sabesp (SBSP3) reage a 1° turno para governador em SP

ETE Parque Novo Mundo
Odair Faria
Qualquer pessoa pode ver esta foto Todos os direitos reservados
Upload feito em 20 de Set de 2011
0 comentários

O Ibovespa registra terreno positivo nesta segunda-feira (03), e segue acelerando em meio ao ânimo pós-primeiro turno das eleições no Brasil. O índice opera na faixa dos 115 mil pontos, nível visto pela última vez em abril. 

Além do reforço interno, há a melhora externa após dados industriais dos Estados Unidos, dando um certo alívio ao exterior.

As ações da Petrobras (PETR3; PETR4) abriram com forte alta nesta segunda-feira, pós-primeiro turno das eleições e ainda diante do forte avanço do preço do petróleo no exterior. A ação ON sobe 7,95%, e a PN avança 8,09%. 

Em meio ao bom humor, apenas uma ação cai. Liderando as maiores baixas, está Yduqs (YDUQ3) com leve recuo.

Contudo, mais cedo, os papéis da Yduqs recuavam 9,62% e os da Cogna caíam 5,78%. Segundo analista consultado pelo Broadcast, todo o setor devolve ganhos dos últimos dias diante do resultado do primeiro turno das eleições no Brasil. Lula vinha sinalizando a retomada do Fies, mas o fato de não vencer no primeiro turno esfriou as expectativas. 

Na ponta positiva, Sabesp (SBSP3) lidera os ganhos do índice com mais de 15% de valorização, seguida de Azul (AZUL4) e Magazine Luiza (MGLU3), ambas com cerca de 10% de alta.

O mercado precifica a privatização da Sabesp, após o primeiro turno da corrida para governador em São Paulo mostrar o candidato Tarcísio Freitas (Republicanos) bem à frente dos demais, com 42% dos votos. Isso foi uma grande surpresa, na avaliação do Bradesco BBI, que vê nesse cenário o aumento da probabilidade de privatização da empresa.

“O candidato disse que a privatização poderia ser considerada se reduzisse as tarifas imediatamente, além de obviamente ter o benefício de acelerar os investimentos para melhorar os serviços de coleta/tratamento de esgoto”, destacam os analistas Francisco Navarrete, João Fagundes e André Silveira em relatório.

Desempenho do Ibovespa em 03 de outubro (Fonte: Bloomberg)

O dólar cai mais de 4%, na esteira da desvalorização do índice DXY do dólar ante seis moedas relevantes. A mínima em R$ 5,21.

O mercado de câmbio responde à ampliação da alta do petróleo e das bolsas em Nova York, ajudadas ainda pelo índice de gerentes de compras (PMI) industrial dos Estados Unidos, que avançou acima da previsão. 

Há pouco, saíram também o PMI industrial ISM e os investimentos em construção nos EUA, que caíram mais que o esperado pelo mercado, mas os investidores aparentemente dão mais peso ao PMI da S&P Global positivo, embora possa realimentar o temor de inflação e fazer com que o Federal Reserve seja mais duro em seu aperto monetário.

🇧🇷 Ibovespa +4,48% (114.967)

💵 Dólar -4,11% (R$ 5,17)

Cotações registradas às 12h45
 

Commodities

O petróleo registra alta, mantendo o forte desempenho de ontem à noite, em meio à possibilidade de que a Opep+ corte sua produção em mais de 1 milhão de barris, em reunião na quarta-feira (05). 

O minério de ferro encerrou em queda firme em Cingapura. As bolsas de Dalian e Qingdao, na China, não funcionam nesta semana devido ao feriado da Golden Week.

🛢 Brent +3,74% (US$ 88,32)

🛢 WTI +4,18% (US$ 82,81)

🇨🇳 Minério de ferro -2,27% (US$ 92,10)

Cotações registradas às 12h45; minério de ferro referente a Cingapura

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?