Ibovespa é novamente pressionado por estatais e recua, descolado de NY e com cenário eleitoral no radar

business-g925def65b_1920

O Ibovespa fechou novamente em queda nesta terça-feira (25), ainda descolado dos ganhos registrados pelos principais índices de Nova York. O mercado ainda repercute o “caso Roberto Jefferson” e monitora o cenário eleitoral, além de questões relacionadas à economia da China. Os papéis de estatais, como Petrobras (PETR3; PETR4) e Banco do Brasil (BBAS3), mais uma vez pressionaram o índice, após as fortes perdas registradas ontem.

Para Felipe Moura, da Finacap, deve haver muita cautela na bolsa nos próximos dias por conta do fator eleitoral, com bastante volatilidade. A divulgação do IPCA-15 de outubro ficou em segundo plano, apesar dos dados terem vindo acima do esperado por analistas, registrando um avanço de 0,16%.

Outros analistas, como o CEO da Alphatree Capital, Rodrigo Jolig, ainda destacam que os ativos brasileiros tiveram desempenho superior em relação ao mundo na última semana, agravando a tendência de queda já presente por conta da proximidade do segundo turno das eleições.

O dólar fechou em alta, contrariando seu enfraquecimento no mercado internacional. No exterior, surgem novas expectativas de um Fed menos agressivo (ou seja, dovish) com o aperto monetário nas próximas reuniões, o que deve reduzir o impulso de fortalecimento da moeda americana ante seus pares. Ainda assim, a cautela presente no plano doméstico, motivada pela instabilidade eleitoral, motivou a retomada de posições defensivas em relação à bolsa.

📊 Ibovespa 114.625,59 pontos (-1,20%)
💰 Volume R$ 33,8 bilhões
💵 Dólar R$ 5,3168 (+0,26%)

O destaque na sessão ficou com a Magazine Luiza (MGLU3) que liderou não só as varejistas, como também as altas do índice, com 5,15%. O movimento é uma recuperação de parte das perdas ontem, com Americanas (AMER3) e Via (VIIA3) avançando 0,20% e 1%, respectivamente.

A Méliuz (CASH3) teve alta de 3,74%, com analistas avaliando o estudo para eventual segregação da marca Bankly, anunciado ontem, que envolvem uma potencial listagem de ações como companhia independente.

O setor de educação reagiu a dúvidas em relação a uma reação de Bolsonaro no segundo turno das eleições e avançou, em meio à repercussão do caso Roberto Jefferson. A proposta do ex-presidente Lula de reativar o Fies beneficia papéis como Yduqs (YDUQ3) e Cogna (COGN3), que registraram ganhos de 4,61% e 2,78%, respectivamente.

A Embraer (EMBR3) avançou 4,20%, figurando entre os maiores avanços do índice. Hoje, a OGMA (Indústria Aeronáutica de Portugal), parte do Grupo Embraer, tornou-se o primeiro Centro de Manutenção Autorizado certificado pela Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) de Portugal a realizar manutenção pesada nas aeronaves comerciais da família de E-Jets E2 na África, Europa e Oriente Médio.

As mineradoras e siderúrgicas chegaram a esboçar uma recuperação, apesar da queda da commodity de referência no mercado internacional, mas perderam fôlego e tiveram fechamento misto. Vale (VALE3) fechou estável e Usiminas (USIM5) avançou 0,53%, enquanto CSN (CSNA3), Gerdau (GGBR4) e CSN Mineração (CMIN3) registraram quedas de 0,92%, 0,56% e 2,35%.

Do lado negativo, destaque para a BRF (BRFS3), que despencou 11,24%. O Ministério da Agricultura determinou, na última sexta-feira (21), o recolhimento dos petiscos caninos da subsidiária Balance, após a detecção de lotes contaminados do produto. Hoje, o Citi rebaixou sua recomendação para os papéis da companhia de compra para neutra, enquanto o JPMorgan rebaixou o preço-alvo para os papéis de R$ 16,50 para R$ 15,00, ressaltando a expectativa por resultados fracos no 3T22.

As ações de estatais caíram novamente, na esteira do cenário de instabilidade política. Petrobras ON (PETR3) e PN (PETR4) recuaram 1,50% e 2,10%, respectivamente, enquanto Banco do Brasil (BBAS3) fechou em queda de 1,72%. O Credit Suisse afirmou, em relatório, que prefere reduzir a exposição aos papéis da petroleira com a proximidade do segundo turno das eleições.

Apesar disso, a PetroRio avançou 0,90%, na esteira da alta da commodity no mercado internacional. Já 3R Petroleum (RRRP3) e PetroReconcavo (RECV3) fecharam em queda de 2,04% e 0,55%, respectivamente.

Já o setor bancário acompanhou o movimento do Banco do Brasil e fechou em queda. Itaú (ITUB4) e Santander (SANB11) caíram 0,81% e 0,56%, enquanto Bradesco (BBDC4) recuou 0,60%.

⬆️ Maiores altas do índice

🟢 MGLU3 +5,15%
🟢 YDUQ3 +4,61%
🟢 EMBR3 +4,20%

⬇️ Maiores baixas do índice

🔴 BRFS3 -11,24%
🔴 IRBR3 -7,22%
🔴 AZUL4 -7,06%

(Com Agência Estado e BDM Online)

 

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?