Ibovespa: é topo ou não é?

m-ZzOa5G8hSPI-unsplash

Em 20 de julho de 2022, iniciou-se um movimento de repique na bolsa brasileira, rompendo a tendência secundária com pivot de alta (primeiro sinal de reversão de tendência). O Ibovespa, naquele momento, marcava início de um forte rali de alta, o qual, até o momento, subiu simplesmente 17 mil pontos. Em sala ao vivo, comentei que seria momento de repique no mercado, e, no grupo VIP (oportunidade de swing trade para assinantes), abri quatro calls: três de compras (gain) e um de venda (loss) naquela oportunidade. A ideia de repique me animou a tal ponto que até mandei mensagem no dia para todos os analistas da casa avisando da oportunidade!

Mensagem no grupo de analistas da Benndorf Research no WhatsApp em 20 de julho. [Fonte: João Tonello]
Imperioso destacar que, naquele momento do mercado, não imaginava de forma alguma que o repique seria tão forte. Eu muito acreditava que pararia na primeira linha de tendência de baixa (LTB), próximo aos 106 mil pontos, circulado em azul na imagem abaixo.

Fim esperado para o repique do Ibovespa. [Fonte: João Tonello]
Todavia, o mercado acelerou e ultrapassou não somente essa resistência, como também a média móvel de 200 períodos (mma200) e outras resistências horizontais anteriores. Na última sexta-feira, 19 de agosto, o Ibovespa mostrou falta de força com um candle que apontava certa fraqueza da movimentação de alta.

Para alguns, o repique foi uma antecipação da alta de juros. Para outros, ele se deve ao fato de a bolsa brasileira estar barata comparada com as do exterior, trazendo fluxo de capital para o Brasil, por ser uma alternativa atrativa para os gringos. O que não podemos deixar de pontuar é que, independentemente de qual tenha sido o motivo macro da alta, tivemos indicativo por um setup chamado de 9.1, criado por Larry Williams, no gráfico semanal. Um dos sinais que coadunou para me convencer do repique.

Depois de contextualizado, fica o questionamento: será que o repique acabou? Está na hora de realizar os ganhos de quem acelerou compras? Ou é apenas o começo e a bolsa deve continuar subindo? Para responder, vamos analisar alguns fatores.

Inicialmente, pelo lado gráfico, o 9.1 de Larry Williams é uma boa forma de encerrarmos a operação. Olhando pelo gráfico diário, o candle recentemente fechou abaixo da média móvel de 9 períodos (mme9). Assim, no caso de perder a mínima do candle do dia, seria interessante fazer algumas defesas nas posições abertas! Já para operadores mais arrojados, faz sentido olhar a mme9 através do gráfico semanal, o qual mostraria que vale a pena segurar a posição um pouco mais, até que o indicador de “perda de tendência” entre em ação. Abaixo, a foto da esquerda tem a mme9 como tendência no diário, e a da direita, no semanal — o primeiro serve para o investidor que curte giros mais curtos, e o segundo, para giros mais longos.

Ainda falando da parte gráfica, podemos ficar de olho em regiões como 105 mil pontos e a famosa mma200. Em caso de perda destas duas regiões de suporte, poderemos ter sim renovação de mínimas e perda dos 100 mil pontos no Ibovespa. Todavia, minha convicção pessoal afirma que ainda não temos topo desse movimento de repique, tendo abertura para uma renovação de máximas como “trap”, ou seja, “sinal dos cães” — um falso rompimento. Acredito que este movimento virá para “stopar” algumas pessoas que aceleraram vendas no topo anterior. O movimento corretivo se manifestará apenas depois, fazendo uma correção mais aprofundada, seja em descanso para novas pernadas de alta ou para reversão de tendência curta (terciária) e retomada da secundária (queda)! Em resumo, vejo topo próximo à região de 114.500 a 117.500 mil pontos

Agora, vamos para o lado fundamentalista! Em 13 de agosto, a China soltou dados de desaceleração econômica! Vale ressaltar que a saúde da economia de países como EUA e China, que possuem relação de consumo direta com o Brasil (são importadores), interfere diretamente nos resultados de nossas empresas exportadoras, desembocando em reflexos no Ibovespa. Até então, a China não tinha utilizado o termo “desaceleração”, o que já chamou atenção para um cenário mais negativo.

E, supreendentemente, a inflação americana ultrapassou a brasileira neste ano! Isto mesmo que vocês acabaram de ler! Este fato aconteceu por conta do Brasil ter desacelerado inflação em julho e agosto, enquanto os EUA tiveram alta da inflação nos mesmos meses! Lembrando que aqui não estamos falando dos últimos 12 meses, mas sim, dos últimos 8 meses, isto é, calendário de 2022. O valuation da bolsa brasileira e os resultados que economia tem trazido frente ao resto do mundo estão sim interessantes! Como destaque, a redução da inflação de 7,11 para 7,02% no projetado anual. Já 2023 teve um projeção de levíssima alta, por conta do atual preço do diesel, pois a logística de entrega do produto vai ser influenciado pelo transporte. Além disso, o PIB apresentou alta de 0,57% no trimestre.

Com estas boas noticias sobre o Brasil, o medo do mercado no exterior existe, enquanto, no mercado interno, ele é de certa forma relativizado pelo “prêmio” de retorno. Assim, inicialmente pensamos que, ao menos pelo lado econômico, “o pior já passou”. Contudo, não podemos esquecer que teremos cenário de eleições e tudo pode mudar! Desta forma, importante ficar atento aos indicadores de tendência do mercado para tomada rápida de decisão e acertar o próximo passo do “senhor Mercado”, para citar Benjamin Graham.

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?