Ibovespa fecha em queda após recuperação de ontem, pressionado por cenário negativo no exterior e incertezas políticas domésticas

stock-g5c2bab572_1920

O Ibovespa fechou em queda nesta quinta-feira (29), acompanhando o cenário negativo verificado no exterior, à medida que a perspectiva de continuidade das altas de juros por bancos centrais ao redor do mundo eleva o sentimento de aversão ao risco. Além disso, incertezas eleitorais também motivam cautela doméstica, com a proximidade do primeiro turno das eleições e do último debate na TV, que será realizado hoje à noite.

A divulgação do PIB trimestral americano, com queda de 0,6% na comparação anual, A leve alta dos papéis da Petrobras (PETR3; PETR4), apesar do recuo do petróleo no mercado internacional e descolada de seus pares, ajudou a reduzir as perdas do índice. Hoje, a companhia anunciou que divulgará seu novo plano de investimentos em novembro.

O dólar fechou em alta, em meio ao cenário de tensão tanto externa quanto interna, motivado pelas eleições no caso doméstico. Os discursos de presidentes de distritais do Fed reforçando a necessidade de um combate ao avanço inflacionário indicam que o dólar deve seguir sendo favorecido pela abordagem hawkish da instituição. Enquanto isso, investidores têm retirado recursos da bolsa brasileira nos últimos dias, em meio ao cenário eleitoral incerto no país, que pode até mesmo ser resolvido no primeiro turno.

📊 Ibovespa 107.664,35 pontos (-0,73%)
💰 Volume R$ 28,4 bilhões
💵 Dólar R$ 5,3955 (+0,86%)

Entre os poucos papéis que fecharam em alta no pregão, o setor bancário se destacou positivamente. O Itaú (ITUB4) liderou, subindo 1,49%, acompanhado de Bradesco ON (BBDC3) e PN (BBDC4), com 1,06% e 0,76%, respectivamente.

A Eneva (ENEV3) subiu 1,33%. O UBS BB manteve recomendação neutra para os papéis da companhia, com preço-alvo de R$ 18,00/ação, destacando o leilão de reserva de capacidade térmica previsto para amanhã como uma oportunidade de criação de valor para a empresa.

O principal destaque negativo de hoje foi o setor de aéreas, pressionado tanto pela alta do dólar quanto pelo cenário de aversão ao risco, em meio a perspectivas de uma recessão global. Gol (GOLL4), Azul (AZUL4) e Embraer (EMBR3) lideraram as quedas do pregão, com 8,17%, 8,79% e 6,93%, respectivamente.

As techs também recuaram, pressionadas pelo discurso do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, indicando a manutenção do plano de levar a inflação ao redor da meta antes de iniciar o corte de juros. A Locaweb (LWSA3) e a Totvs (TOTS3) recuaram 6,03% e 2,50%, respectivamente. O setor também foi pressionado nas bolsas de Nova York, com o índice Nasdaq caindo quase 3%.

As varejistas foram pressionadas pelo mesmo motivo, com Americanas (AMER3) e Magazine Luiza (MGLU3) figurando entre as maiores perdas, com 7,41% e 6,47%, além de Via (VIIA3), com 6,37%.

⬆️ Maiores Altas do Ibovespa

🟢 ITUB4 +1,49%
🟢 ENEV3 +1,33%
🟢 ITSA4 +1,26%

⬇️ Maiores Baixas do Ibovespa

🔴 AZUL4 -8,79%
🔴 GOLL4 -8,17%
🔴 AMER3 -7,41%

(Com Agência Estado e BDM Online)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?