Ibovespa retoma os 112 mil pontos, descolado de NY e puxado por commodities

blur-g8d6c6cc58_1920

O Ibovespa fechou em alta na sessão desta terça-feira (23), descolado das bolsas de Nova York e impulsionado por um bom desempenho dos papéis ligados a commodities. A cautela internacional permanece, em meio à expectativa dos mercados pelo Simpósio de Jackson Hole do Fed, que deve dar pistas da postura da instituição nas próximas reuniões.

Entre os fatores mencionados por especialistas para justificar o bom desempenho da bolsa brasileira, apesar do cenário de cautela internacional, o fim do ciclo de alta de juros pelo Banco Central, a deflação apresentada nos últimos meses e os bons resultados reportados no 2T22 são os mais destacáveis.

Para Leonardo Neves, especialista em renda variável da Blue3, a recuperação do ânimo na bolsa, após dois dias de queda, foi puxada “pelo setor bancário, Petrobras e Vale, basicamente, as empresas de maior peso no Ibovespa”.

O dólar fechou em queda, em meio à desvalorização da moeda no mercado internacional e ao ganho de força das commodities, que favorece o real. O ingresso de recursos financeiros do exterior na bolsa brasileira permanece forte, com seu impacto ainda mais evidente, em meio à redução da aversão ao risco no exterior.

📊 Ibovespa 112.857,10 pontos (+2,13%)
💰 Volume R$ 23,8 bilhões
💵 Dólar R$ 5,0090 (-1,31%)

As ações da Americanas (AMER3) lideraram novamente as altas do pregão, avançando 15,91%, com o mercado ainda reagindo à notícia de que Sérgio Rial assumirá a presidência da empresa. A valorização dos papéis já acumula mais de 40% nos últimos dois pregões em relação ao fechamento da última sexta-feira. As petrolíferas também se destacaram positivamente na sessão, na esteira dos ganhos da commodity no mercado internacional. Petrobras (PETR4) avançou 3,18%, enquanto PetroRio (PRIO3) e 3R Petroleum (RRRP3) subiram 7,22% e 6,98%, respectivamente.

A alta do minério de ferro de 1,81% em Qingdao posicionou as siderúrgicas entre os maiores ganhos do índice, com destaque para a Usiminas (USIM5) e a CSN (CSNA3), que avançaram 9,72% e 9,29%, respectivamente. Os papéis da Vale (VALE3) também registraram bom desempenho, fechando com ganhos de 6,41%. O setor de varejo acompanhou o avanço, em meio ao alívio na curva de juros doméstica, destaque para Magazine Luiza (MGLU3), com alta de 8,64%.

Do lado negativo, as administradoras de shoppings se destacaram no pregão de hoje, com Multiplan (MULT3) e Iguatemi (IGTI11) entre as maiores quedas do índice, com 2,56% e 1,35%, respectivamente. Analistas apontam que a forte alta dos últimos meses motiva uma realização de lucros por parte dos investidores, pressionando os papéis da companhia.

⬆️ Maiores Altas do Ibovespa

🟢 AMER3 +15,91%
🟢 USIM5 +9,72%
🟢 CASH3 +9,32%

⬇️ Maiores Baixas do Ibovespa

🔴 MULT3 -2,56%
🔴 CCRO3 -1,62%
🔴 IGTI11 -1,35%

(Com Agência Estado e BDM Online)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?