Ibovespa volta a recuar, com preocupações fiscais em meio a discussões sobre PEC e indefinição para pasta econômica

stock-g281e8d53c_1920

O Ibovespa fechou em queda nesta terça-feira (22). Investidores seguem monitorando questões relacionadas à PEC de Transição, enquanto aguardam a indicação para o Ministério da Fazenda do novo governo. Preocupações fiscais mantiveram a aversão ao risco no mercado, que se descolou do bom desempenho registrado nos principais índices de Nova York, e notícias de que o PL, partido de Bolsonaro, contestou parcialmente o resultado das eleições de outubro chegaram a acelerar as perdas próximo ao final do pregão.

Além das questões domésticas, o analista da Empiricus, Matheus Spiess, avalia que dúvidas quanto a recuperação da economia chinesa também preocupam os investidores, por deixarem o mercado “mais sensível”. Spiess também destacou que a definição de um nome para a pasta econômica é a principal preocupação do momento, até mais importante do que a PEC de Transição, e o retorno do nome de Fernando Haddad como o mais cotado para o cargo gerou stress no mercado.

A perspectiva negativa em relação à Petrobras [PETR3; PETR4] pesou sobre os papéis PN [PETR4] da estatal, que foram os principais responsáveis pelo fechamento negativo de hoje. Hoje, o UBS BB revisou sua recomendação para os ativos de “compra” para “venda”. Além disso, a representação movida pelo partido do presidente Jair Bolsonaro (PL) pedindo a anulação de votos em determinados modelos de urnas, alegando “mau funcionamento”, agravou a instabilidade.

O dólar fechou em alta, impulsionado também pelas preocupações fiscais e de olho na contestação do resultado das eleições pelo PL. O pessimismo com os papéis da Petrobras [PETR3; PETR4] agravou o mau-humor, por conta da percepção de maior risco político transmitida aos investidores estrangeiros.

Rumores de que Haddad, nome visto com cautela pelo mercado, já é consultado em temas da pasta econômica, como a PEC de Transição, também surtiram efeito sobre o câmbio. A persistência do cenário de incerteza deve seguir motivando valorizações da moeda americana em relação ao real.

📊 Ibovespa 109.036,54 pontos (-0,65%)
💰 Volume R$ 32,4 bilhões
💵 Dólar R$ 5,3797 (+1,30%)

O destaque da sessão foi a CSN [CSNA3], que fechou em alta de 3,52%. A companhia aprovou a distribuição de dividendos extraordinários no montante de R$ 1,56 bilhão, correspondente a cerca de R$ 1,17/ação. A posição acionária considerada será a desta sexta-feira (25).

Outras mineradoras e siderúrgicas também figuram entre as principais altas do dia, na esteira da alta do dólar e em meio a um ajuste de posições de investidores, que monitoram as negociações da PEC de Transição. Nem mesmo o recuo de 2,42% do minério de ferro na bolsa de Cingapura foi capaz de conter o avanço do setor, que dominou o topo do índice.

Usiminas [USIM5] subiu 3,92%, enquanto Gerdau [GGBR4] e Metalúrgica Gerdau [GOAU4] avançaram 3,36% e 2,88%, respectivamente. A Vale [VALE3] fechou em alta mais modesta, de 0,28%.

A Ultrapar [UGPA3] fechou em alta de 2,50%, repercutindo a notícia de que sua subsidiária Ultragaz conclui a aquisição da totalidade das ações da NEOgás por R$ 165 milhões.

A PetroRio [PRIO3] se descolou do setor e avançou 2,84%, apoiada na valorização da commodity de referência no mercado internacional. Além disso, a superintendência do Cade aprovou um acordo entre a companhia e a Gas Bridge.

Por outro lado, o restante das petrolíferas fechou em queda. 3R Petroleum caiu 1,89%, enquanto Petrobras PN [PETR4] recuou 0,81%. A estatal é pressionada por incertezas relacionadas à transição de governo e ao futuro da companhia com Lula na presidência.

Além disso, o UBS BB rebaixou sua recomendação para os papéis de “compra” para “venda”, cortando o preço-alvo de R$ 47,00 para R$ 22,00

Também entre os destaques negativos, a Gol [GOLL4] e a Azul [AZUL4] tiveram quedas de 4,04% e 4,87%, figurando entre os maiores recuos do pregão. Apostas de novas altas da Selic, que teriam impacto negativo sobre o poder de compra do consumidor, pressionam os papéis das companhias.

A alta dos juros futuros voltou a pressionar as varejistas, em meio a incertezas relacionadas à PEC de Transição. A Arezzo [ARZZ3] teve o segundo maior recuo do dia, com 4,87%, enquanto Americanas [AMER3] e Magazine Luiza [MGLU3] caíram 3,80% e 1,18%, respectivamente. Grupo Soma [SOMA3] teve queda de 4,22%.

As techs também foram afetadas negativamente pelos juros, e Locaweb [LWSA3] fechou em queda de 3,73%, enquanto a positivo recuou 2,46%.

⬆️ Maiores altas do índice

🟢 USIM5 +3,92%
🟢 CSNA3 +3,52%
🟢 GGBR4 +3,34%

⬇️ Maiores baixas do índice

🔴 AZUL4 -4,87%
🔴 ARZZ3 -4,87%
🔴 SOMA3 -4,22%

(Com Agência Estado e BDM Online)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?