Lucro da Klabin cai 64%: melhor investir em Suzano [SUZB3]?

IMG_3444

As Units da Klabin [KLBN11] fecharam com 1,40% de queda nesta quinta-feira (25), a R$ 23,25. Além do balanço trimestral da companhia, o mercado digeriu mudanças na administração e a aprovação de dividendos.

A companhia registrou lucro líquido de R$ 460 milhões no primeiro trimestre de 2024, queda de 64% ante o mesmo período do ano anterior. Na comparação com os três meses imediatamente anteriores, o resultado foi 24%.

Os números vieram abaixo do esperado pelo mercado, diz João Abdouni, analista da Levante Corp. Para o lucro líquido, por exemplo, a projeção era de R$ 583 milhões.

Os números foram pressionados principalmente, pela queda dos preços da celulose e kraftliner – a linha composta por papéis diferenciados, produzidos a partir do mix de fibras virgens. A desvalorização do dólar em relação à moeda brasileira também contribuiu negativamente.

Bruno Corano, economista e investidor da Corano Capital, explica que, assim como o setor de petróleo, o setor de celulose é muito sensível à cotação internacional da commodity de referência. Portanto, no caso de uma empresa com forte dependência de um único setor, como a Klabin, a queda no preço da celulose surtiu efeito direto nos números.

Ainda assim, um aumento do volume vendido no trimestre compensou parcialmente os obstáculos da Klabin.

“A redução no lucro trimestral deve-se primariamente ao segmento de papel e embalagens”, completou Tomaz Mayr, analista de papel e celulose na Módulo Capital.

Em poucas palavras, resumiu Bruno, a Klabin está sofrendo com a queda do valor da celulose, o aumento da valorização do dólar frente ao real, “e não podemos esquecer que a empresa também tem um custo financeiro significativo para ir rolando a dívida que tem”.

Por outro lado, o especialista lembra que a indústria de papel e celulose é muito perene e, de certa forma, segura. “Os altos e baixos existem, mas podemos esperar que, em breve, vão existir momentos de recuperação.”

Em concordância, Reydson Mattos, analista da Nomos Investimentos, cita que a empresa manteve um alto nível de investimento no trimestre, em manutenção e crescimento de área produtora, com plantio de novas árvores e expansão de plantas em aquisições que foram feitas no ano passado.

KLBN11 ou SUZB3?

Ao pensar na Klabin enquanto investimento, não dá para esquecer que a companhia compete com a maior produtora de papel e celulose do mundo, a Suzano [SUZB3]. O balanço da empresa será divulgado apenas em 9 de maio.

Reydson projeta que a Suzano também vá reportar um trimestre mais fraco. Além do preço, tal como afetou a Klabin, a alavancagem da Suzano também é alta, pondera.

“Eu diria que as duas empresas passam por um cenário em que o efeito do dólar em si tende a tirar um pouco a própria rentabilidade delas, dado o efeito de juros mais fortes.” Na visão dele, a Klabin tem um perfil de dividendos mais forte e mais promissor do que Suzano, apesar de Suzano parecer ser mais barata.

Para quem investe em busca de dividendos, a Klabin faz mais sentido do que Suzano, defende, citando os dividendos anunciados hoje. O conselho de administração da Klabin aprovou a distribuição e o pagamento de dividendos no valor de R$ 330 milhões.

O pagamento está previsto para 16 de maio, e terão direito ao provento os acionistas na base acionária da empresa no dia 3.

Já Tomaz Mayr tem leve preferência por SUZB3, por conta da maior exposição ao segmento de celulose, que constituiu 77% da empresa da companhia no ano passado. “Ambas as empresas apresentam semelhanças em vários aspectos, destacando-se principalmente pela vantagem competitiva de operarem no Brasil, onde os custos de produção são significativamente inferiores aos dos seus concorrentes internacionais.”

Desempenho de KLBN11 de 2022 a 2024. [Fonte: Filipe Borges]
No curto prazo, KLBN11 está corrigindo no gráfico diário, com retração no gráfico semanal que chama atenção do analista técnico Filipe Borges.

O ativo tem trabalhado com topos e fundos ascendentes, “então a tendência do semanal ainda é de alta, mas eu aguardo uma correção entre R$ 22,75 e R$ 22,15 para avaliar uma entrada” . O alvo da operação seria a primeira resistência, em R$ 25,30, rompendo entre R$ 29,00 e R$ 31,60.

“Caso a gente enxergue algum ponto de entrada nessa região que eu comentei anteriormente, o stop desse trade ficaria na faixa de R$ 21,15.”

Mudanças na gestão

Na mesma reunião em que aprovou os dividendos, o colegiado da Klabin também elegeu o conselheiro Horácio Lafer Piva, acionista da empresa e ex-presidente da Fiesp, como presidente do conselho. Para a diretoria estatutária foram eleitos Cristiano Cardoso Teixeira, Francisco Cesar Razzolini, Marcos Paulo Conde Ivo, Douglas Dalmasi, Sandro Fabiano Avila e Antônio Alexandre Nicolini.

Na visão de Reydson, a alteração em si não deve mudar drasticamente o pipeline de projetos que já vinham sendo incorporados.

Tomaz Mayr tampouco espera alterações significativas. Tendo ocupado anteriormente o cargo de presidente do conselho em 2018, narra o analista da Módulo Capital, Horácio Lafer Piva é uma figura já reconhecida pelo mercado devido ao seu perfil conservador.

“Espera-se que ele conduza a empresa a uma expansão orgânica gradual nos mercados atuais da Klabin, bem como à melhoria da eficiência operacional.”

 

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?