Max e Tonello dão call de compra para PETR4

nick-chong-N__BnvQ_w18-unsplash

Os analistas Max Bohm e João Tonello compartilharam suas visões sobre o desempenho de DMVF3, CLSA3, SOJA3, ALOS3, GOAU4 e PETR4 na live do Ação e Reação desta semana, realizada na última segunda-feira (03), no canal da Nomos TV

Petrobras [PETR4]

Call de compra

O papel negocia a 3 vezes EV/Ebitda, e a expectativa é que a empresa pague 15% de yield esse ano. Porém, como 3R Petroleum [RRRP3] também tem o mesmo EV/Ebitda, mas sem risco de ingerência política, Max prefere a junior oil.

Arriscando na movimentação de queda do Ibovespa, Tonello aponta que PETR4 é a melhor exposição possível, analisando como índice e a companhia respondem ao Brent. 

Ele explica que ainda que exista a questão de risco de intervenção, e venha a cair, no momento atual é a melhor ponta para abrir no swing trade, comprando a R$ 38,61, e stop em R$ 37,20, “com risco”.

Desempenho diário de PETR4 em 3 de junho de 2024. [Fonte: TradingView/João Tonello]

D1000 [DMVF3]

Esperar momento

A empresa do setor de varejo farmacêutico, com marcas como Tamoio, Rosário e Drogasmil, atua no Rio de Janeiro, Niterói, e em Mato Grosso, de acordo com Max.

Small cap, D1000 negocia a 0,4 Preço/Valor Patrimonial, o que o analista define como “múltiplo de empresa em recuperação judicial,” pois a empresa gera caixa líquido e lucro. Seu EV/Ebtida é de 3,9 vezes, mais barato que PagueMenos [PGMN3], Panvel [PNVL3] e Drogasil [RADL3].

DMVF3 sobre 54% em 12 meses, e 20% em 2024. Por fundamento, Max sugere compras.

Graficamente, Tonello explica que o mercado veio forte, criou algumas pancadas na movimentação de alta, e marcou bom ponto na região de R$ 7,81. Para compras, ele sugere esperar o rompimento da região, pois o mercado está indefinido.

Desempenho diário de DMVF3 em 3 de junho de 2024. [Fonte: TradingView/João Tonello]

ClearSale [CLSA3]

Esperar momento

Max conta que o ativo do setor de tecnologia está criando um burburinho no mercado, pois, desde a semana passada, há rumores que a empresa será vendida. A Serasa Experian é um dos compradores, mas outros também estão nessa disputa. 

Porém, por enquanto, ele ressalta que são apenas só rumores, nada concreto. 

Ao mesmo tempo, o primeiro trimestre de 2024 mostrou ser o primeiro de uma reversão da geração de caixa, visto que a empresa consumia bastante caixa nos últimos anos, o que pode ser interessante por fundamento.

“Dado que é um player de venda, a gente tem que saber que aqui é binário”, afirmou. “Pode dar certo, pode dar errado”. Ainda assim, para Max, é compra.

O mercado tenta romper novamente a média mais longa de CLSA3 nos gráficos, e Tonello aponta que esse retorno para teste é muito importante. Sendo assim, ele indica aguardar antes de entrar. 

Desempenho semanal de CLSA3 em 3 de junho de 2024. [Fonte: TradingView/João Tonello]

Boa Safra [SOJA3]

Esperar momento

A empresa do setor do agronegócio produz sementes de alto valor agregado, como soja e milho. Empresa diferenciada no seu setor, com market share em torno de 8,5%, segundo Max. 

Além disso, Boa Safra fez captou R$ 300 milhões recentemente, e deve investir em crescimento orgânico e inorgânico, com novas aquisições em breve, o que pode ser um gatilho positivo para o papel.

A companhia negocia a 6,5% EV/Ebtida, 9 vezes Preço/Lucro. “Não são múltiplos caros.” Max acredita que, com a queda recente, depois da oferta, esse seja um bom ponto de entrada, por fundamento, no patamar de R$ 16.

Graficamente, Tonello pontua que a empresa passou por um movimento corretivo e disparou, fazendo o setup chamado “sinal dos cães” – falso rompimento de suporte ou resistência. O mercado já buscou as médias esperadas, e agora o analista aguarda o ativo chegar em R$ 14,13, onde tem atratividade para compras.

“A gente espera um retorno, pode ser qualquer sinal que o mercado venha a defender fortemente a região de médias”, destacou.

Desempenho semanal de SOJA3 em 3 de junho de 2024. [Fonte: TradingView/João Tonello]

Allos [ALOS3]

Esperar momento

O papel da maior empresa de shopping center da América Latina cai 16% no ano. De acordo com Max, Allos é a mais barata do setor, abaixo de Iguatemi [IGTI11] e Multiplan [MULT3].

Os últimos resultados da empresa têm sido “consistentes e animadores”, não somente pelos números apresentados, mas também pela reciclagem de portfólio que têm feito, vendendo shoppings que não são estratégicos.

Recentemente, a companhia também anunciou um grande programa de recompra de ações, além de falar que vai pagar bastantes dividendos no horizonte de 12 meses. “Ou seja, só notícia positiva para a Allos”, ressalta o analista.

Nas últimas semanas, principalmente no mês passado, a empresa caiu muito, devido à ligação do setor com os juros. Porém, Max frisa que os fundamentos continuam sólidos.

Nos gráficos, ALOS3 está passando por um alargamento, que é um sinal de indefinição do mercado. Pela enciclopédia de Bukowski, na maioria das vezes o ativo vai para baixo depois disso. “Deve acontecer uma próxima perna de alta, mas no longo prazo o ativo está majoritariamente pesando”, aponta Tonello.

Nesse momento, o analista indica compras no ativo apenas  acima do fechamento diário, acima dos R$ 22,22, com alvo na região de R$ 24,70 para cumprir o alargamento no ativo.

Desempenho semanal de ALOS3 em 3 de junho de 2024. [Fonte: TradingView/João Tonello]

Gerdau [GOAU4]

Esperar momento

Para Max, não há papel no setor das siderúrgicas igual à GOAU4, que, inclusive, é a mais barata. A companhia também é a mais diversificada em termos de receita, com grande disposição ao mercado americano, visto que mais de 50% do Ebitda do caixa operacional vem dos Estados Unidos.

A companhia negocia a 3,6 vezes EV/Ebitda, 7 vezes Preço/Lucro, e paga mais de 7% de yield.

Graficamente, GOAU mostrou ser bastante resiliente, segundo Tonello. Quando o minério estava subindo, Gerdau foi a que melhor se comportou entre os pares, formando também o melhor padrão de compra. Porém, logo depois o minério passou por uma movimentação muito pesada, e bastante complexa, com o mercado caindo um pouco mais. Dessa forma, a Gerdau sofreu.

Desempenho semanal de GOAU4 em 3 de junho de 2024. [Fonte: TradingView/João Tonello]

Nesse momento, GOAU4 trabalha abaixo de 10,55, o que desanima um pouco o mercado. “E, para mim, vai pesar mais”, acrescentou. “Enquanto o minério cair, a ação também vai cair.”

Para pensar em compras, o analista gostaria de ver o ativo retomando fechamento acima de R$ 10,95. Enquanto isso não acontecer, ele sugere não se expor no ativo.

 

Assista à live completa:

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?