Max e Tonello dão possível gatilho de compra para GOAU4

nick-chong-N__BnvQ_w18-unsplash

Os analistas Max Bohm e João Tonello compartilharam suas visões sobre o desempenho de GOAU4, EZTC3, ELET3 e INTB3 na live do Ação e Reação desta semana, realizada na última segunda-feira (06), no canal da Nomos TV

Gerdau [GOAU4]

Gatilho de compra

A companhia passa por bons momentos desde a divulgação do balanço do primeiro trimestre. “Ninguém queria a Gerdau, mas saiu um resultado muito bom, surpreendendo positivamente”, destacou Max. “Aí veio um monte de banco e corretora dando upgrade no papel, a R$ 11,00.”

Ainda assim, o analista pontua que GOAU4 continua barato, já que negocia a 3,8 vezes EV/Ebtida, e o yield pode chegar a ficar entre 9% e 10%. 

Além disso, a ação sobe 5,5% no ano – “raro para um papel com liquidez” –, e 13% em 12 meses. Por fundamento, até R$ 12,00 o papel é uma boa opção, segundo Max. 

Indo em contramão, Tonello não teria GOAU4, pois, nos gráficos, o mercado fez movimentação de pivô de baixa, para testar R$ 9,44, conseguiu defender o valor de forma tímida. Depois disso, ele conseguir performar alta, com certa dificuldade no rompimento.

O analista observa um candle com pavio na movimentação altista, e volume não tão interessante na defesa, o que faz com que a caminhada até o pivô de alta sofra mais.

Graficamente, porém, há setup de compra, com barra vermelha ignorada em cima de uma barra 9, rompimento de LTB – linha de tendência de baixa –, e volume. Sendo assim, com uma análise fundamenlista boa, é possível entrar no ativo. 

Desempenho semanal de GOAU4 em 6 de maio de 2024. [Fonte: João Tonello/TradingView]

Ele sugere compra em R$ 11,40, e parcial antes de R$ 12,00. Para alvo, o analista explica que GOAU testa topo em R$ 12,90, então é possível buscar 13% de alta. 

Já para a gestão de risco, Tonello frisa que é de risco e complexa, pois pelo lado técnico o stop deveria ser em R$ 10,34, com 9% de perdas, porém é um ativo que já se mostrou muito resiliente na região.

Por outro lado, ele acredita que o ativo só deva ser stopado em caso de mudança macro da companhia, mesmo que eventualmente tenha algum problema em margem ou operação que o desvalorize abaixo de R$ 9,27, pois a região entre R$ 9,20 e R$ 9,30 tem sido de defesa. 

“Então, se caísse, eu manteria e não stoparia antes de R$ 9,44”, argumentou. “Querendo ou não, isso contraria a análise técnica, mas a visão fundamentalista deve reinar.”

EzTec [EZTC3]

Esperar momento

A companhia divulgou resultado ruim do 1T24, com dados operacionais mais fracos, entretanto Max aponta que já era esperado pelo mercado. No meio disso, o papel andou nos últimos dias, mas ainda cai 21% no ano, e 5% em 12 meses.

O analista também destaca que, por múltiplos, a empresa está “largada”, negociando a 0,7 vezes Preço/Valor Patrimonial, “muito barato para uma construtora”, e 6 vezes Preço/Lucro. “Se melhorar nos próximos trimestres, o papel pode dar uma pernada boa de alta”, projeta.

Nos gráficos, EzTec rompe um ponto muito importante, segundo Tonello. É preciso manter atenção em como o papel irá se comportar, pois, rompendo máximas em R$ 15,00 no fechamento diário, o analista sugere compras. 

Desempenho diário de EZTC3 em 6 de maio de 2024. [Fonte: João Tonello/TradingView]

Eletrobras [ELET3]

Não é momento

Uma das ações mais baratas do setor elétrico, ELET3 tem múltiplos interessantes, de acordo com Max. Em queda de 7% no ano, e pagando yield de 7,5%, ele acredita que há boa oportunidade no papel.

Graficamente, Tonello aponta que o papel está “interessante”, com o mercado apontando para baixo, em busca de fazer movimentação de perda de região de suporte, chega no terceiro toque de LTA – linha de tendência de alta –, e faz movimento de retomada. 

Desempenho semanal de ELET3 em 6 de maio de 2024. [Fonte: João Tonello/TradingView]

Nesse momento, ele indica manter ELET3, pois não vê riscos por enquanto – o custo-benefício “muito bom” – e o ativo deve buscar altas com longo prazo.

“Não vejo ELET3 perdendo essa região de R$ 37,00 e R$ 37,50 tão cedo”, afirmou.

Intelbras [INTB3]

Não é momento

Para Max, o resultado do primeiro trimestre da companhia foi “muito bom”, não em termos de crescimento, mas em margem, pois a empresa conseguiu reduzir despesas, e ficar mais eficiente, 

O analista também frisa que o papel chamou a atenção de vários bancos e corretoras. Na segunda, por exemplo, Santander deu upgrade para Intelbras, afirmando que o papel tem potencial para chegar a R$ 30 reais. 

“Esse é um ponto de compra interessante para análise fundamentalista”, ponderou. 

Já Tonello explica que INTB3 faz uma operação técnica muito difícil de pegar nos gráficos, com, o ativo batendo o terceiro toque na LTB, mas bateu e foi para baixo. O sinal, ele prossegue, é falso rompimento – um trap. 

Desempenho diário de INTB3 em 6 de maio de 2024. [Fonte: João Tonello/TradingView]

“É muito difícil pegar por análise técnica, porque falta padrões, está completamente sem setup, ativo perto de regiões de resistência”, reflete. “É o típico quem tem, mantém, quem não tem, não faz nada.”

Assista à live completa:

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?