Meio de Pregão: Ibovespa opera alinhado à NY e ignora IPCA-15

jeremy-bezanger-9opiHRPIvR0-unsplash

O Ibovespa opera majoritariamente em queda nesta terça-feira (26), perdendo o nível de 100 mil pontos reconquistados no fechamento do pregão de ontem (25). O índice manteve sinal positivo durante praticamente toda a última semana, com exceção de sexta-feira (22) que fechou com leve baixa de 0,11%.

A piora das bolsas americanas após decepção com os dados de atividades e de confiança, um dia antes da decisão de política monetária do Federal Reserve, levou investidores a adotarem postura defensiva, pesando na B3. A expectativa majoritária é de alta de 0,75 p.p.

“Falta volume financeiro para sustentar a bolsa. Quando está assim, fica difícil puxar muito para cima ou muito para baixo”, avalia Marcelo Boragini, especialista em renda variável da Davos Investimentos. “Não adianta, o mercado está em compasso de espera pelo Fed, por mais que as commodities ajudem”.

O dólar registra perdas e segue volátil, após a divulgação de indicadores americanos piores que o esperado. O economista-chefe da J.F. Trust, Eduardo Velho, comentou que o mercado de câmbio opera sob forças opostas, de fator técnico ligado à Ptax puxando os preços para baixo em meio alta de commodities e alívio no IPCA-15, mas também ajustando-se em alguns momentos à valorização da moeda americana no exterior.

“Mais um dado imobiliário americano mostra perda de ritmo do setor, e a confiança do consumidor também veio pior que o esperado”, avaliou Eduardo. Por isso, em sua percepção, o dólar reduziu as perdas intradia. “Os vendidos em contrato cambiais podem não ter força para sustentar o dólar fraco diante da valorização no exterior, que tende a prevalecer”, acredita, citando ainda impactos de previsões do FMI e Moody’s mais pessimistas sobre o crescimento mundial, dos Estados Unidos e da China.

🇧🇷 Ibovespa-0,34% (99.924)

💵 Dólar -0,18% (R$ 5,35)

Cotações registradas às 12h20

 

Commodities

petróleo opera sem sinal único, com oscilações moderadas, dividido entre os apertos na oferta e as preocupações com a demanda.

minério de ferro fechou em alta expressiva. A commodity amplia o rali das últimas duas sessões, ancorada nas expectativas de apoio ao setor imobiliário do gigante asiático e perspectivas de que a fraca demanda se fortaleça.

🛢 Brent +0,45% (US$ 100,64)

🛢 WTI -0,23% (US$ 96,48)

🇨🇳 Minério de ferro +8,61% (US$ 112,04)

Cotações registradas às 12h20; minério de ferro referente a Qingdao

 

(Com Agência Estado)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
PUBLICIDADE

Related Posts

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE