Meio de Pregão: Vale e Petrobras acompanham avanços internacionais

Fonte: TradeMap

O Ibovespa opera positivo nesta segunda-feira (25), descolado da instabilidade em Nova York, poucos dias antes da decisão da politica monetária do Fed. “Vamos ver até onde vai essa valorização. O viés aqui ainda é de alta. Pode ser que a intensidade diminua mais conforme for o desempenho em Nova York”, diz Pedro Galdi, da Mirae, grupo de serviços financeiros com sede em Seul.

De acordo com Galdi, a temporada de balanços de empresas brasileiras, que começa a ganhar tração essa semana, será importante para balizar o desempenho do setor corporativo em meio ao quadro de juros e inflação elevados e algumas commodities em queda, bem como de preocupação com a recessão mundial. “Hoje a Bolsa está ‘respirando’, mas temos de ver se será sustentável. Há questões locais. Ruídos sempre terão, estamos perto da eleição. Todos estão de olho na inflação e como o Banco Central fará neste cenário”, afirma Galdi. O índice alcançou máxima de 100.336,38 pontos e subiu 1,43% por volta das 11h14.

Os papéis da Petrobras (PETR3; PETR4) operam em alta, assim como os da PetroRio (PRIO3) e da 3R Petroleum (RRRP3), em meio ao avanço no preço do petróleo no mercado internacional. O desempenho da estatal também é atribuído à espera por um balanço firme do 2T22, cuja divulgação está prevista para esta quinta-feira (28). O analista e sócio da Ajax Capital, Rafael Passos, afirma que as prévias operacionais divulgadas na semana passada apontam para números sólidos e que, em termos de fluxo de caixa, a companhia vem surpreendendo, o que deve se refletir nos resultados financeiros e em dividendos.

As ações da Vale (VALE3) também registraram aumento neste começo de pregão, acompanhando o avanço do minério de ferro à vista em Qingdao. Perspectivas de estímulos para o setor imobiliário na China reaqueceram o bom humor do mercado, ante a projeção de melhora da demanda pelo material siderúrgico. Investidores também aguardam com expectativa o balanço do segundo trimestre de 2022 da mineradora, que será divulgado na quinta-feira (28).

Liderando as principais quedas do Ibovespa e entre as maiores baixas da bolsa, as ações de GPA (PCAR3) chegaram a recuar mais de 4%, após o JPMorgan rebaixar a recomendação do papel de overweight (equivalente a compra) para neutra.

O dólar registra baixa, estimulando a entrada de fluxo comercial e um movimento de desmonte de posições cambiais defensivas no mercado futuro com a perspectiva de um aumento de 0,75 p.p. dos juros pelo Federal Reserve, nesta quarta-feira (28), e não mais de 1 p.p. como foi especulado recentemente. O diretor Jefferson Rugik, da corretora Correparti, avalia que a revogação das restrições a exportações brasileiras de aço pelos EUA e o Reino Unido é uma boa notícia, mas o efeito na taxa de câmbio não deve ser imediato, entretanto poderá ocorrer no médio prazo.

🇧🇷 Ibovespa +1,36% (100.266)

💵 Dólar -1,64% (R$ 5,40)

Cotações registradas às 12h45

Commodities

petróleo registra alta e se recupera das perdas desta madrugada, impulsionadas pela preocupação de que um provável novo aumento de juros pelo Fed possa limitar o avanço da demanda pelo óleo.

minério de ferro fechou com sinal positivo, estendendo os ganhos da última sexta-feira (22). A commodity avançou estimulada pelas expectativas de uma recuperação econômica da China, maior produtora e consumidora de aço do mundo, no terceiro trimestre. O mercado também foi influenciado pela perspectiva de apoio ao setor imobiliário do gigante asiático, o que tende a fortalecer a demanda pelo insumo.

🛢 Brent +1,80% (US$ 100,15)

🛢WTI +1,96% (US$ 96,56)

🇨🇳 Minério de ferro+1,24% (US$ 103,16)

Cotações registradas às 12h45; minério de ferro referente a Qingdao

 

(Com Agência Estado)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
PUBLICIDADE

Related Posts

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE