O homem de 84 anos que salvou a Nvidia

quem salvou a nvidia irimajiri

Ela é uma empresa de US$ 2 bilhões hoje. Que não existiria sem alguém conhecido como Irimajiri-san.

Antes de ser uma das companhias mais valiosas do mundo, a Nvidia foi uma empresa à beira da falência.

A startup de Jensen Huang já estava ali por alguns anos na década de 90, quando parecia que não ia durar muito mais tempo. O primeiro chip dela foi um fracasso. O próximo chip estava fadado ao fracasso. Huang diz ele mesmo que esse foi nada menos que um momento existencial para sua empresa nascente.

E o negócio sobreviveu apenas por causa de um homem a quem Huang chama de Irimajiri-san.

A Nvidia estava ficando sem dinheiro quando Huang pediu a um dos principais executivos da gigante dos videogames Sega uma ajuda de US$ 5 milhões para manter sua empresa à tona. Não havia absolutamente nenhuma razão para Irimajiri-san o fazer. Ele fez mesmo assim. “Para o crédito dele”, disse Huang recentemente, “e a minha admiração.”

Huang tem sido o diretor executivo da fabricante de chips desde o dia em que ela nasceu. A Nvidia não existiria sem ele. Mas mesmo ele diz que a companhia não existiria hoje sem a ajuda de Irimajiri-san. A forma como salvou a empresa ensinou a Huang uma das lições mais importantes e menos apreciadas nos negócios.

“Não se pode desvalorizar a bondade das pessoas quando se está começando uma empresa,” afirmou Huang num podcast da Sequoia Capital no ano passado.

Performance das cinco empresas mais valiosas dos EUA. [Fonte: WSJ]
Quando Huang começou o negócio, há mais de 30 anos, pareceria completamente absurdo que a Nvidia se tornasse a terceira empresa mais valiosa do mundo, atrás da Microsoft e da Apple. Mesmo há um ano, era altamente improvável.

 

Mas desde o início da febre da Nvidia, a capitalização de mercado da empresa triplicou. No ano passado, ultrapassou US$ 1 trilhão. Este ano, ultrapassou os US$ 2 trilhões. E pode chegar aos US$ 3 trilhões agora que a procura por chips de inteligência artificial ajudou a empresa a apresentar outro balanço trimestral explosivo, divulgado na última quarta-feira (22).

Mas toda empresa precisa de um pouco de sorte e muita boa vontade no caminho para o sucesso. Mesmo — e especialmente — uma empresa de US$ 2 trilhões.

Uma das coisas peculiares sobre a companhia por trás do boom da IA é que teria falido há muito tempo se não fosse a bondade humana de alguém que nunca trabalhou lá.

Esse alguém era Shoichiro Irimajiri, também conhecido como Irimajiri-san, Iri-san ou simplesmente Iri.

Um engenheiro brilhante e executivo carismático, ele foi um dos líderes empresariais mais admirados do Japão, primeiro na Honda e depois na Sega, onde desempenhou um papel essencial na história da Nvidia. Hoje, ele tem 84 anos, mas não é o que se diz ao olhar pra ele, que continua a prestar consultoria e estava no escritório depois das 17h quando o repórter do Wall Street Journal chegou para entrevistá-lo nesta semana.

Irimajiri trabalhou com Huang por um curto período de tempo. Assim como Huang, ele nunca esqueceu aquele período. “A presença da Nvidia na minha mente é bastante significativa”, disse.

Irimajiri mantém uma foto emoldurada de si mesmo no escritório. Seu trabalho em motos Grand Prix e carros de corrida de Fórmula 1 tornou-o um engenheiro lendário na Honda. [Foto: WSJ]
Mas como Shoichiro Irimajiri acabou salvando a empresa de Jensen Huang a milhares de quilómetros de distância?

Quando era criança no Japão pós-guerra, Irimajiri sonhava em ser engenheiro aeroespacial desde o dia em que leu sobre Chuck Yeager quebrando a barreira do som. Após a faculdade, ele conseguiu um emprego na Honda Motor projetando motores para motocicletas de Grand Prix e carros de Fórmula 1 que desafiavam os limites de velocidade em terra. Seu trabalho nos veículos de corrida mais rápidos do mundo fez dele uma figura lendária por mérito próprio.

“Ele tinha ideias que os outros engenheiros consideravam impossíveis”, diz o jornalista de motociclismo Mat Oxley. Isso colocou a carreira de Irimajiri na via rápida.

Como o diretor-geral mais jovem da história da empresa, em 1984 foi enviado à América para gerir a produção dos EUA da Honda. Quando se mudou para Ohio, o nome no seu crachá era o apelido, “Iri”. Ele era conhecido pelo seu “sorriso fácil” e “liderança enérgica”, segundo perfis do Wall Street Journal. Era também conhecido por adorar hambúrgueres do McDonald’s, que ele ainda devora todas as semanas. “Acredite ou não”, diz.

Depois de quatro anos impulsionando o crescimento da Honda nos EUA, regressou ao Japão em 1988 como candidato a dirigir a empresa, mas renunciou abruptamente em 1992, citando estresse e problemas de saúde. Em 1993, foi contratado pela Sega, que ultrapassou a Nintendo para se tornar a força dominante nos videogames. Em 1996, foi promovido a presidente e CEO da divisão americana e, até 1998, foi elevado a presidente da empresa inteira.

Entretanto, três rapazes numa cabine do Denny’s estavam iniciando uma empresa no Vale do Silício que chamaria a atenção do executivo.

Jensen Huang é o CEO da Nvidia desde a fundação da empresa, em 1993. Esteve perto de falir no final dos anos 90. [Foto: MediaNews Group/The Mercury News via Getty Images]
A Nvidia foi fundada por Huang e dois amigos em 1993, à medida que os jogos passavam dos gráficos 2D para os 3D. Na época, a Sega estava sob pressão para criar um produto de sucesso e desenvolveu o console Dreamcast em resposta à incrível popularidade do PlayStation da Sony. A Nvidia foi escolhida para construir a unidade de processamento gráfico, ou GPU, do Dreamcast, depois de Irimajiri se encontrar com Huang e ter ficado impressionado com a sua paixão e visão.

O jovem empreendedor não tinha um casaco de couro característico na época nem fãs que enchessem arenas para ouvi-lo falar sobre chips, mas já exibia uma atitude autoconfiante. “Ele tinha uma confiança muito, muito forte”, conta Irimajiri.

O contrato com a Sega financiou a empresa de Huang. Mas decisões arriscadas e erros cruciais nos primeiros dias da Nvidia quase a destruíram. O mais significativo foi a estratégia falha da startup para renderização de imagens. A Nvidia adotou uma abordagem não convencional para gráficos 3D que usava quadriláteros, enquanto outras empresas buscavam uma técnica baseada em triângulos. Logo ficou claro que a Nvidia estava apostando na forma errada.

A Nvidia estava trabalhando no projeto da Sega por um ano quando Huang percebeu que teria que abandonar sua estratégia. O chip inferior deixou a empresa numa situação difícil: terminar e morrer lentamente, ou desistir e morrer imediatamente. Ele refletiu sobre essa situação aparentemente impossível no ano passado em um discurso de formatura na Universidade Nacional de Taiwan, onde revelou os fracassos “humilhantes e constrangedores” que lançaram as bases para o sucesso da Nvidia.

Se a empresa continuasse trabalhando no console para cumprir seu contrato, declarou, ficaria muito atrasada em relação à concorrência para recuperar. Mas se parasse de trabalhar no chip da Sega, ficaria sem dinheiro. “De qualquer forma”, disse Huang, “estaríamos fora dos negócios.”

Irimajiri disse que lutar com Huang para desenvolver chips avançados para o Dreamcast foi uma das memórias mais felizes de sua vida. [Foto: Toshifumi Kitamura/AFP via Getty Images]
Ele temia o pior quando Irimajiri foi ao escritório de Huang e disse que a Sega lançaria o Dreamcast com uma GPU feita por outra empresa. A Nvidia falhou. Mas, naquela época, Irimajiri conhecia Huang e ainda acreditav. O executivo também ainda gostava de Huang. “Eu queria que a Nvidia fosse bem-sucedida”, diz Irimajiri. “De algum modo”.

Ele ligou para o Japão com uma ideia surpreendente: a Sega deveria investir na Nvidia. Não foi fácil convencer seu chefe a investir dinheiro em uma startup precária que não havia cumprido o contrato existente. Mas depois de alguma negociação, Irimajiri garantiu os adicionais US$ 5 milhões que a Nvidia precisava desesperadamente. De algum modo.

“Era todo o dinheiro que tínhamos”, disse Huang. “Sua compreensão e generosidade nos deram seis meses para viver.”

Naqueles seis meses, a Nvidia se concentrou e se esforçou para desenvolver o chip inovador que foi lançado em 1997 e salvou a empresa, que abriu o seu capital em 1999. No ano seguinte, Irimajiri renunciou como presidente da Sega. Foi apenas depois de sair da empresa que sua melhor decisão deu frutos: a Sega vendeu as ações da Nvidia por cerca de US$ 15 milhões, diz.

Huang mostra as últimas GPUs da Nvidia no início deste ano. A empresa agora vale mais de Us$ 2 bilhões. [Foto: Justin Sullivan/Getty Images]
Hoje, Irimajiri gere o próprio negócio de consultoria privada a partir de um escritório em Tóquio. Atrás da sua secretária, está um retrato emoldurado de seu amigo Ayrton Senna, o querido campeão tardio de Fórmula 1 cuja dominância foi impulsionada pelos motores da Honda. Em casa, tem uma foto de Chuck Yeager pilotando um caça aos 80 anos.

Irimajiri perdeu o contato com o CEO da Nvidia até receber o pedido para organizar um seminário sobre IA em 2017. Foi então que ele rastreou o endereço de email de Huang e enviou uma nota em inglês ao bilionário que não via há 20 anos.

De: Shoichiro Irimajiri

Para: Jensen Huang

Assunto: de um velho amigo

“Olá, Jensen-san,” escreveu. “Este é Shoichiro Irimajiri, um dos seus parceiros de negócios na década de 1990. Pode lembrar-se de que, naquela época, lutámos juntos para desenvolver chips gráficos avançados para o Sega Dreamcast. Além disso, esta é uma das memórias felizes da minha vida.”

Em seguida, fez o pedido. Ele queria saber se Huang “ou alguém da Nvidia” visitaria o Japão e daria uma palestra a um grupo íntimo de líderes de negócios. “Se possível, eu agradeceria muito,” escreveu Irimajiri. “Lamento muito incomodá-lo no seu tempo ocupado, mas também agradeço muito por ler a minha carta. Atentamente, Iri.”

Parece um email que todos já escreveram e reescreveram em algum ponto das suas vidas.

Não havia expectativa de uma resposta. Irimajiri recebeu uma no dia seguinte. “Caro Irimajiri-san,” respondeu Huang, agora com 61 anos e cabelo prateado. “Que surpresa maravilhosa e agradável ouvir de você. Trabalhar com a Sega no início da Nvidia também é uma das memórias felizes da minha vida.” Como de fato aconteceu, ele estaria em breve em Tóquio para uma conferência brilhante da Nvidia onde subiria ao palco e daria um discurso principal sobre o futuro. Mas é claro que ele falaria para uma audiência muito menor e pagaria uma dívida do seu passado. Tudo por Irimajiri-san.

“Estou encantado por poder ser útil para você,” escreveu Huang ao seu velho amigo.

Shoichiro Irimajiri no escritório em Tóquio hoje. Atrás dele está uma foto de seu amigo Ayrton Senna.

 

(Com The Wall Street Journal; título original: The 84-Year-Old Man Who Saved Nvidia; tradução feita com auxílio de IA)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?