PPI alemão atinge patamar inédito: salto na inflação pressiona bancos centrais europeus

maheshkumar-painam-HF-lFqdOMF8-unsplash


As bolsas da Europa oscilam perto da estabilidade nesta quinta-feira (20), enquanto investidores avaliam novos dados de inflação da Alemanha, um forte avanço nos juros dos Treasuries e a crise política do Reino Unido. Os futuros de Nova York registram queda, sinalizando que Wall Street irá ampliar as perdas de ontem, quando interrompeu dois pregões de ganhos em meio a temores renovados sobre a perspectiva de mais aumentos de juros nos Estados Unidos. 

Hoje, investidores do mercado acionário norte-americano vão acompanhar comentários de vários dirigentes do Federal Reserve (Fed) e mais dados do mercado de trabalho e setor imobiliário dos EUA. Além disso, estão previstos balanços trimestrais da American Airlines, AT&T e Whirlpool. 

Os papéis da Alcoa e da Tesla operam em forte baixa nos negócios do pré-mercado em NY, após ambas as empresas divulgarem balanços trimestrais no fim da tarde de ontem. A ação da Alcoa chegou a cair 9,2% e a da Tesla, 6%. Já o papel da IBM, que também publicou seus resultados ontem, subia um pouco mais de 3%.

De volta às praças europeias, o índice de preços ao produtor (PPI) na Alemanha saltou 45,8% em setembro ante igual mês do ano passado, no maior incremento desde que o dado começou a ser calculado, em 1949.

O resultado replicou o avanço anual de agosto, mas representa uma aceleração em relação à subida de 37,2% registrada em julho.

Por outro lado, na comparação mensal, houve arrefecimento da inflação ao produtor: o PPI subiu 2,3% em setembro ante agosto, após alta de 7,9% no mês anterior.

O salto da inflação, que nos últimos meses foi alimentado pela disparada dos preços de energia em meio à guerra entre Rússia e Ucrânia, pressiona grandes bancos centrais a continuar elevando juros de forma agressiva. 

O Banco Central Europeu (BCE) anuncia decisão de política monetária no próximo dia 27. O Banco da Inglaterra (BoE) e o Fed revisam seus juros em novembro.

Com a perspectiva de mais aperto monetário, o rendimento da T-note de 10 anos voltou a renovar máximas desde 2008 nas últimas horas.

A grave situação política do Reino Unido também segue no radar. Ontem, a primeira-ministra Liz Truss disse no parlamento britânico ser uma “lutadora, não uma desistente”, num momento em que sofre crescente pressão para renunciar.

No começo da semana, o governo de Truss reverteu quase todos os planos de cortes de impostos que haviam atraído fortes críticas e abalado os mercados financeiros britânicos. Em outro golpe a Truss, sua ministra do Interior, Suella Braverman, pediu demissão.

Na Ásia, as bolsas fecharam em queda generalizada, em linha com o desempenho negativo em Nova York na véspera. Temores de novos aumentos de juros do Fed pressionam os mercados globais e empurraram o câmbio japonês para nova mínima.

Por aqui, sai a segunda prévia do IGP-M de outubro, às 8h, e o Tesouro faz leilão de prefixados, às 11h.

No front político, com foco total no Sudeste neste final de campanha, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realiza hoje caminhadas pelo Rio de Janeiro.

Já o presidente Jair Bolsonaro (PL) cumpre agenda em São Paulo. O chefe do Executivo começa o dia com um encontro com influenciadores. O presidente também concede entrevista ao Diário Grande ABC e realiza reunião com prefeitos paulistas.

Otimista com a reeleição de Bolsonaro (PL), o ministro da economia Paulo Guedes trabalha em um ambicioso plano para refundar a legislação sobre as contas públicas do país. Trechos da proposta obtidos pela Folha afirmam que “o salário mínimo deixa de ser vinculado à inflação passada”. Na nova regra, o piso “considera a expectativa de inflação e é corrigido, no mínimo, pela meta de inflação”. 

O gasto com benefícios previdenciários “também deixa de ser vinculado à inflação passada”. Com isso, abre-se a possibilidade de uma correção abaixo da inflação nos benefícios previdenciários, que têm despesas projetadas em R$ 859,9 bilhões para o ano que vem, e do salário mínimo. Outra discussão é mudar o índice usado para o IPCA.

Também está sendo defendida na reformulação capitaneada pelo ministro a retirada de certas despesas do teto de gastos. Entre elas, as não recorrentes que fossem bancadas por uma diminuição do Estado, com a venda de ativos (como estatais).

Desempenho dos principais índices às 7h40:

🇺🇸 S&P Futures +0,05%

🇩🇪 DAX -0,51%

🇺🇸 Nasdaq -0,18%

🇬🇧 FTSE +0,03%

🇫🇷 CAC +0,30

🛢 Petróleo Brent +1,36%

🛢 Petróleo WTI +1,75%

💵 Índice Dólar -0,19%

🇺🇸 S&P VIX +0,52%

💰 Bitcoin -0,22%

💲 Ethereum -0,07%

 

(Com Agência Estado)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?