Rússia e Ucrânia assinam acordo de exportação válido por 120 dias, diz funcionário da ONU

grãos ucrania russia

Rússia e a Ucrânia concordaram nesta sexta-feira em retomar as exportações do Mar Negro. Esta é a primeira negociação dos países desde o início da guerra. O acordo é válido por um período de 120 dias e poderá ser renovado, disse um alto funcionário da Organização das Nações Unidas (ONU). A medida estabelece que a Ucrânia exportará cerca de 5 milhões de toneladas de grãos por mês, o equivalente ao seu nível anterior à guerra, segundo informou o funcionário.

O encontro ocorreu na Turquia e teve participação de representantes de Moscou e Kiev e mediação do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan. Também estava presente o secretário-geral da ONU, António Guterres, que desde o início do conflito tentava avançar nas negociações e evitar a perspectiva de uma crise alimentar. “Não tenham dúvidas – este é um acordo para o mundo”, disse o Guterres. “Trará alívio para os países em desenvolvimento à beira da falência e as pessoas mais vulneráveis à beira da fome.”

A implementação do acordo, no entanto, pode ser dificultada pelos limites de circulação dos navios nos campos minados do Mar Negro. Tanto a Rússia quanto a Ucrânia colocaram minas marítimas, que representam um perigo para o movimento de qualquer navio na área. O acordo prevê que navios comerciais naveguem pelas águas da Ucrânia guiados por pilotos ucranianos e possivelmente embarcações de busca e salvamento ucranianos para ajudá-los a evitar minas marítimas, disse a autoridade da ONU. Um centro de coordenação conjunto será estabelecido em Istambul para verificar os navios que se dirigem à Ucrânia e garantir também que não estejam contrabandeando suprimentos militares.

A Ucrânia informou à ONU que precisaria de cerca de 10 dias para preparar seus portos para retomar totalmente as exportações de grãos. “Acho que estamos falando de algumas semanas antes de vermos a implementação adequada de navios entrando e saindo, mas não me surpreenderia e espero que não surpreenda você ver o movimento inicial de navios apenas para mostrar que (o acordo) pode funcionar”, disse um funcionário da ONU.

 

(Agência Estado, com Dow Jones Newswires)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
PUBLICIDADE

Related Posts

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE