Saúde mental: Celso Sant’ana, do Psicologia Financeira, explica manual de cuidados emocionais para traders

yp-UD8Rv_400x400

Candlesticks, gráficos de cinco minutos, computador multitelas repleto de luzes piscantes: não faltam estímulos visuais na rotina de um trader. Sem contar a pressão do risco de perder parte do próprio capital e a promessa de ficar rico através das operações em bolsa. 

Celso Sant’ana, fundador da iniciativa Psicologia Financeira, compartilhou dicas de autoexame para quem deseja operar day trade com mente sã para fazer bons (ou maus também, faz parte!) negócios, em palestra na sede da Nomos Investimentos no Rio de Janeiro na semana passada. 

Formado em Psicologia Clínica pela UFSJ e com experiência de mais de 15 anos em saúde mental, o psicólogo se especializou em cuidar da saúde mental de operadores de mercado, que por vezes se afundam em ciclos viciosos com as próprias emoções.  

Você está feliz?

“A parte emocional é determinante, não só para os investimentos, mas como um todo”, Celso iniciou sua palestra. O psicólogo deixa claro que lidar com decisões financeiras é, em primeiro lugar, lidar consigo mesmo.

O primeiro passo da metodologia que Celso mostra em sua palestra é um questionário, desenvolvido pelo psicólogo americano Brett N. Steenbarger. 

“Esse questionário, […] tenta captar quanto você, nesse momento, pensando no seu dia a dia como trader, o que você está sentindo em relação ao mercado”, explicou Celso. 

Um dos exemplos de pergunta do questionário é se o trader se sente feliz quando está operando. As respostas podem variar de 1 a 5, sendo 1 = Quase nunca; 2 = Poucas vezes; 3 = Algumas vezes; 4 = Frequentemente; 5 = A maioria das vezes. 

As perguntas de número ímpar estão ligadas a sentimentos bons, como felicidade e satisfação, e os de número par são o contrário. Segundo Celso, o ideal é que, ao final do questionário, a soma da pontuação de todos os itens ímpares seja maior ou igual à dos itens pares.

“Se der um distanciamento muito grande do valor que foi dos itens pares para os itens ímpares, você tem que começar a pensar em relação ao seu momento operando”, esclareceu. 

Todavia, caso o número de pares seja muito grande, Celso diz que isso não significa que você precisa parar de operar para sempre, mas que talvez seja o momento de uma pausa.

Mudança de mentalidade

Alguns comportamentos podem identificar se um trader está se auto sabotando. 

Segundo Celso, algumas dessas condutas podem ser: (i) Aquele dia em que o trader tinha vários compromissos e mesmo assim operou; (ii) o trader que acordou 8h55 e já pulou na tela; (iii) quando o trader recebe um telefonema urgente e continua a operar; (iv) quando o trader está com sono e cansado e ainda assim decide operar. 

Caso os comportamentos acima estejam se repetindo, o psicólogo recomenda um exercício para que se melhore o autocontrole na hora de operar. 

A dinâmica consiste em, quando se fizer uma operação, assim que acabar, é interessante que o trader saia de frente da tela do computador; respire, beba uma bebida relaxante e só depois de repousar (e isso independentemente se a emoção pós-operação for “boa” ou “ruim”) voltar para o computador.

Além disso, Celso comentou que a autocrítica em excesso é um dos principais fatores que levam a um pensamento irracional por parte do trader. 

Esses pensamentos podem vir de diversas formas, como o próprio psicólogo elenca: (i) “todo mundo ganha menos eu”; (ii) “sou muito ruim para isso”; (iii) “se compro cai, se vendo sobe”; (iv) “o mercado está de ‘marcação’ comigo”; (v) “não acerto nada”; (vi) “sou muito burro”; (vii) “dinheiro que dá para ganhar rápido”. 

Celso utiliza parte dos fundamentos da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) – uma das linhas da Psicologia – para traçar um plano de avaliação do trader. 

Este plano consiste em responder os seguintes pontos: Entender qual é a situação (1. O que está acontecendo?); Qual o pensamento automático (2A. O que acaba de passar pela minha cabeça? 2B. Quanto acredito nisto (%)?); Qual minha emoção? (3A. Que emoção eu sinto? 3B. Qual a intensidade (%)?); Qual meu comportamento? (4A. O que faço?).

Com isso, o trader passa a se conhecer melhor (o que não substitui o atendimento profissional com um psicólogo) e pode construir pensamentos e hábitos melhores. 

No entanto, Celso entende que é preciso adaptar regras de bem-estar para a realidade individual de cada um, assim como é preciso ajustar regras operacionais de trading para o que for pessoalmente mais benéfico e forneça melhor visão de retorno, mesmo que não seja a favorita da comunidade trader no momento.

Por fim, Celso exibiu uma escala de percepção de estado emocional, produzida por ele mesmo, a ser feita diariamente antes da abertura de mercado pelos operadores. 

O documento apresenta 14 afirmações, como por exemplo “Sinto-me seguro para encarar o mercado hoje” e “Sinto-me despreocupado com relação a minha situação financeira”. Para cada afirmação, o trader deve escolher entre: 1 = Discordo completamente; 2 = Discordo parcialmente; 3 = Indiferente; 4 = Concordo parcialmente; 5 = Concordo completamente.

Na planilha, dependendo do resultado, o trader automaticamente será direcionado um gráfico mostrando se ele está instável, neutro ou estável. 

Caso esteja instável, Celso diz que é preciso parar e repensar se realmente se está apto para negociar naquele dia ou se deve operar com menos contratos.

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?