Tensões derrubam mercados globais; investidores aguardam resultados da indústria nacional

Fonte: iStock


As bolsas da Europa e os futuros de Nova York operam em baixa nesta terça-feira (02), acompanhando a fraqueza dos mercados globais, à medida que tensões geopolíticas se intensificaram com uma possível visita da presidente da câmara dos representantes dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan. A escalada de tensões entre EUA e China, as duas maiores economias do mundo, pesaram nos negócios europeus e em Wall Street.

Pelosi, que está numa turnê pela região asiática, deverá chegar a Taiwan na noite de hoje (pelo horário local), segundo a mídia da própria ilha. A China, que considera Taiwan parte de seu território, já fez vários alertas sobre “sérias consequências” se a visita de fato ocorrer.

Nas praças europeias, os papéis da BP saltaram 3,6% nesta manhã, após superar expectativas de lucro no segundo trimestre. A petrolífera britânica divulgou que teve lucro líquido de US$ 9,26 bilhões no 2T22, ante prejuízo de US$ 20,38 bilhões no primeiro trimestre, graças ao salto dos preços do petróleo no período.

Já o lucro subjacente – métrica preferida da BP – teve expansão de 35% de um trimestre para o outro, a US$ 8,45 bilhões, superando de longe o consenso de 28 operadores apurado pela própria empresa, de US$ 6,79 bilhões.

De volta a Nova York, o índice vem sugerindo a ampliação das perdas de ontem (01), após sólidos ganhos acumulados em julho. A agenda de hoje traz o relatório de emprego conhecido como Jolts e as falas de dois dirigentes do Federal Reserve, Loretta Mester e James Bullard. Também nesta terça está previsto balanço da Caterpillar.

As bolsas da Ásia fecharam em queda generalizada, também influenciada pelos temores de que a visita de Nancy Pelosi a Taiwan aumente as tensões entre Pequim e Washington, o que seria um risco geopolítico adicional aos mercados.

Por aqui, o ambiente externo negativo deve pesar nos mercados como um todo.

Para a abertura, os investidores aguardam o resultado da produção industrial nacional de junho. A expectativa é de queda moderada do indicador, após quatro meses de altas consecutivas, pelos efeitos remanescentes da guerra na Ucrânia e dos lockdowns na China, impactando os insumos e os custos industriais.

Amanhã (03), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne para definir a taxa básica de juros da economia. A expectativa do mercado financeiro é que a Selic seja elevada em 0,5 p. p., passando dos atuais 13,25% para 13,75% ao ano.

Desempenho dos principais índices às 7h55:

🇺🇸 S&P Futures -0,78%

🇩🇪 DAX -1,05%

🇺🇸 Nasdaq -0,95%

🇬🇧 FTSE -0,21%

🇫🇷 CAC -0,84%

🛢 Petróleo Brent -0,94%

🛢 Petróleo WTI -1,00%

💵 Índice Dólar +0,16%

🇺🇸 S&P VIX +7,53%

🇧🇷 EWZ +0,52%

💰 Bitcoin -0,76%

💲 Ethereum -4,12%

 

(Com Agência Estado)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
PUBLICIDADE

Related Posts

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE