Fique de olho em Cogna [COGN3], Oi [OIBR3] e Petrobras [PETR4]

bolsa

Entre os destaques corporativos desta terça-feira (18), a Cogna informou a amortização antecipada facultativa de 98% do valor nominal unitário e da remuneração das debêntures.

3R Petroleum [RRRP3]

A assembleia-geral extraordinária (AGE) marcada para ontem (17) pela deliberação do protocolo e justificação de incorporação da Maha Energy (Holding) Brasil e pela incorporação das ações da Enauta não foi instalada por falta de quórum.

Cogna [COGN3]

A Cogna informou a amortização antecipada facultativa de 98% do valor nominal unitário e da remuneração das debêntures da 1ª emissão da Somos Sistemas de Ensino. A liquidação foi programada para 28 de junho.

Iguatemi [IGTI11]

A Oceana Investimentos elevou participação na companhia de 8,70% para 10,4% das ações preferenciais (PN) e de 2,4% para 2,93% das ações ordinárias (ON).

Marisa Lojas [AMAR3]

A empresa adiou novamente a divulgação do balanço financeiro do primeiro trimestre, que estava previsto para ontem. A empresa não marcou uma nova data.

Oi [OIBR3]

A operadora informou que a Justiça dos EUA autorizou etapas necessárias para o plano de recuperação judicial.

São Martinho [SMTO3]

A empresa informou que o lucro líquido do quarto trimestre da Safra 2023-2024 subiu mais de 4x em relação a um ano antes, a R$ 627,30 milhões.

Vale [VALE3]

A mineradora reiterou que a escolha do novo presidente segue o Estatuto Social e que cronograma está mantido.

Padtec [PDTC3]

A Padtec e Satelital foram escolhidas pela Global Fiber para fornecer uma solução submarina na construção de uma rede festoon ligado em Belém e Fortaleza.

Segundo a empresa, este projeto, parte do plano Lima – Fortaleza da Global Fiber, visa reduzir lacunas digitais na Amazônia e promover maior conectividade na América Latina.

A iniciativa, prevista para operar até o final de 2025, marca o retorno da Padtec ao mercado de sistemas submarinos e subfluviais, promovendo desenvolvimento socioeconômico e educacional significativo na região.

Even [EVEN3]

A Even informou que a Melpar Invest aumentou sua participação acionária na companhia para 15.230.300 ações ordinárias, representando aproximadamente 7,62% do capital social total da Even.

A Melpar comunicou que esta aquisição foi realizada com o objetivo de investimento.

Brisanet [BRIT3]

A S&P Global Ratings atribuiu o rating ‘brAA-’ à 2ª emissão de debêntures senior unsecured da Brisanet, no valor de até R$ 600 milhões.

A agência também conferiu um rating de recuperação ‘3’ à dívida, indicando uma expectativa de recuperação significativa (65%) para os credores em um cenário hipotético de default.

A emissão será realizada em uma única série, com vencimento em seis anos e amortização do principal em três parcelas anuais consecutivas, começando em 2028 e terminando em 2030.

Os recursos obtidos serão utilizados para reforçar a posição de caixa da empresa e para investimentos.

O rating de crédito da Brisanet reflete a expectativa de que a empresa continuará expandindo suas operações e consolidando sua posição de liderança nos mercados em que atua.

Petrobras [PETR4]

Com dez votos a favor, o conselho de administração da Petrobras aprovou a adesão ao Edital de Transação da Receita Federal para resolver contenciosos tributários.

O acordo, que abrange litígios relacionados ao IRRF, CIDE, PIS e Cofins sobre remessas ao exterior, vai resultar no pagamento de R$ 19,8 bilhões, com um impacto líquido de caixa de aproximadamente R$ 2,5 bilhões após ajustes e depósitos judiciais.

No lucro líquido do 2º trimestre de 2024, o impacto após os efeitos tributários vai ser de aproximadamente R$ 11,8 bilhões.

B3 [B3SA3] e Cruzeiro do Sul [CSED3]

A Cruzeiro do Sul Educacional recebeu da B3 autorização para manter temporariamente a quantidade de ações em circulação abaixo do exigido pelo regulamento do Novo Mercado.

Essa autorização permite que, até 30 de junho de 2025, a empresa mantenha em circulação, no mínimo, 12,39% de seu capital social. Caso a quantidade de ações em circulação ultrapasse esse percentual durante o período, não será permitida a redução.

Azevedo & Travassos [AZEV4]

A Azevedo & Travassos anunciou, na última segunda-feira (17), que sua subsidiária, Azevedo & Travassos Petróleo (ATP), assinou contrato para adquirir a empresa Phoenix Óleo e Gás por R$ 137,3 milhões.

A Phoenix detém os direitos de concessão do Polo Periquito, que inclui vários campos de óleo e gás com volumes significativos de recursos.

Com isso, a ATP estima volumes recuperáveis de 2,73 milhões de barris de óleo e 196,3 milhões de m³ de gás, além de recursos contingentes e prospectivos adicionais.

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?