Ibovespa avança, descolado de NY e com estatais em foco; Petrobras [PETR3; PETR4] despenca

business-5475664_960_720

O Ibovespa fechou em alta nesta quarta-feira (14), após pregão volátil e com muitos condicionantes, tanto domésticos quanto externos. Após recuar durante boa parte do dia, pressionado pela alteração realizada na Lei das Estatais e ainda em meio à instabilidade no cenário político, notícias relacionadas à apresentação de uma nova âncora fiscal pelo governo eleito no início de 2023 geraram certo otimismo. No exterior, o principal foco do mercado foi na elevação de 0,50 ponto percentual na taxa base de juros dos Estados Unidos pelo Fed.

A notícia da alteração da Lei das Estatais para viabilizar a indicação de Aloizio Mercadante para a presidência do BNDES impactou muito negativamente os papéis de estatais, especialmente a Petrobras [PETR3; PETR4] que teve, de longe, o pior desempenho do dia. O valor de mercado da companhia chegou a cair para abaixo de R$ 298,3 bilhões, o patamar mais baixo desde o auge da pandemia de Covid-19, em 2020.

De acordo com Weslley Mesquita, da MyCap, o movimento de venda “em cascata” [é potencializado pelo fato de que a medida coloca em dúvida a continuidade dos desinvestimentos e a política de dividendos em vigor na estatal, o que pode reduzir (ou agravar) dependendo do nome que será indicado para a empresa.

Porém, apesar de figurar em terreno negativo, o índice se recuperou e firmou alta no final da tarde. Para Jefferson Laatus, estrategista-chefe do Grupo Laatus, os sinais dados por Fernando Haddad, futuro ministro da Fazenda, de que está preocupado com a questão fiscal têm sido bem recebidos pelo mercado, que teve um impacto inicial muito negativo com a indicação, por ser considerado um nome “mais político do que técnico”. A ideia de Haddad é apresentar uma nova proposta de âncora fiscal até o início de 2023.

O dólar fechou em queda, acompanhando o movimento da moeda no exterior. A decisão de elevar os juros base nos Estados Unidos em 0,50 ponto percentual pelo Fed pressionou a moeda americana ante seus principais pares, por conta da perspectiva de que o aperto monetário irá se suavizar nas próximas reuniões da instituição. Ainda assim, o presidente do banco central, Jerome Powell, reiterou o compromisso dos dirigentes com o controle inflacionário.

No plano doméstico, preocupações fiscais foram as principais responsáveis por reduzir as perdas, em meio à alteração na Lei das Estatais e às negociações da PEC de Transição. O mercado também permanece atento aos nomes divulgados por Haddad para compor sua equipe no novo governo.

📊 Ibovespa 103.745,77 pontos (+0,20%)
💰 Volume R$ 43,6 bilhões
💵 Dólar R$ 5,3010 (-0,27%)

O principal destaque da sessão foi a Petrobras [PETR3; PETR4], que foi pressionada pela alteração realizada na Lei das Estatais para viabilizar a posse de Aloizio Mercadante como presidente do BNDES. A medida traz instabilidade em relação ao futuro da petrolífera, tendo em vista a possibilidade de interferência do novo governo na companhia.

Os papéis ON [PETR3] chegaram a cair mais de 11%, mas fecharam em queda de 9,80%, a maior do dia, enquanto os PN [PETR4] tiveram baixa de 7,93%, a segunda maior.

O Banco do Brasil [BBAS3] também foi afetado e teve desempenho negativo, tendo queda mais moderada, de 2,48%.

A Gol [GOLL4] também figurou no “pódio”, com recuo de 6,35%. Ontem, o Santander reduziu o preço-alvo para os papéis da companhia de R$ 21,50 para R$ 9,30, mantendo recomendação neutra.

As varejistas recuaram em bloco, pressionadas tanto pela alta dos juros futuros, potencializada pela alteração na Lei, quanto pelo IBC-Br abaixo do esperado. A Magazine Luiza [MGLU3] teve queda de 6,07%, enquanto Via [VIIA3] e Americanas [AMER3] registraram perdas de 2,94% e 2,86%, respectivamente.

A São Martinho [SMTO3] fechou em baixa de 5,06% e chegou a liderar a ponta negativa do índice, após ter a recomendação para seus papéis rebaixada pelo Morgan Stanley, de equalweight para underweight.

Do lado positivo, a Vale [VALE3], que fechou em alta de 0,85%, puxou o desempenho das mineradoras e siderúrgicas, que reverteram as perdas registradas no começo do pregão. Usiminas [USIM5] figurou entre os maiores avanços do dia, com 5,50%, enquanto Gerdau [GGBR4] e CSN [CSNA3] avançaram 0,52% e 3,46%, respectivamente.

A Rede D’Or [RDOR3] e a SulAmérica [SULA11] tiveram ganhos de 4,81% e 5,06%, respectivamente, após a aprovação da compra da segunda pela primeira sem restrições pelo tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

No “pódio”, Méliuz [CASH3], SLC Agrícola [SLCE3] e Cielo [CIEL3] tiveram ganhos de 7,02%, 6,33% e 6,26%.

⬆️ Maiores altas do índice

🟢 CASH3 +7,02%
🟢 SLCE3 +6,33%
🟢 CIEL3 +6,26%

⬇️ Maiores baixas do índice

🔴 PETR3 -9,80%
🔴 PETR4 -7,93%
🔴 GOLL4 -6,35%

(Com Agência Estado e BDM Online)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?