Ibovespa fecha em alta em meio a feriado nos EUA e cenário negativo na Europa

blur-g8d6c6cc58_1920

O Ibovespa fechou positivo nesta segunda-feira (05), apesar do cenário negativo nas bolsas europeias, por conta da interrupção do fornecimento de gás natural pela estatal russa Gazprom. A sessão foi de liquidez reduzida, por conta do feriado do Dia do Trabalho (Labor Day) nos Estados Unidos.

O índice foi impulsionado pelo bom desempenho de papéis ligados a commodities. A decisão da Opep+ de cortar a produção de petróleo em 100 mil barris por dia impulsionou os contratos do óleo, dando fôlego às ações de petrolíferas, enquanto a alta do minério de ferro em Dalian fortaleceu os papéis de mineradoras e siderúrgicas.

O dólar fechou em queda, em pregão marcado pelo baixo volume de negociação por conta do feriado nos Estados Unidos. Além disso, medidas tomadas pelo banco central da China, com o objetivo de estimular a economia, melhoraram as perspectivas em relação ao consumo de matérias-primas, o que é positivo para o Brasil e favorece o real.

📊 Ibovespa 112.203,35 pontos (+1,21%)
💰 Volume R$ 19,3 bilhões
💵 Dólar R$ 5,1540 (-0,59%)

Entre os papéis que se destacaram, o GPA (PCAR3) teve a maior alta da sessão, com 9,72%. Notícias a respeito da possibilidade de um retorno de Abilio Diniz ao comando da companhia sem abrir mão de sua participação no Carrefour Brasil animaram os investidores, mesmo com a negativa do grupo a respeito de uma decisão de venda por parte do controlador Casino.

A maior parte das petrolíferas também se destacou positivamente, especialmente a PetroRio (PRIO3), que teve o segundo maior avanço de hoje, com 6,54%, acompanhada pela 3R Petroleum (RRRP3), com 3,51%. A alta do petróleo no mercado internacional impulsionou os papéis do setor, exceto os da Petrobras (PETR3; PETR4), que registraram volatilidade após a primeira troca de diretoria depois que Caio Paes de Andrade assumiu a estatal.

A derrubada do piso da enfermagem pelo STF impulsionou ativos do setor de saúde, como Rede D’Or (RDOR3) e SulAmérica (SULA11), com altas de 2,94% e 3,77%, respectivamente. A medida tende a reduzir os custos das empresas.

As mineradoras e siderúrgicas também se valorizaram no pregão de hoje, em meio à alta de quase 4% do preço do minério de ferro em Dalian, e deram força ao índice. A Vale (VALE3) avançou 3,66%, enquanto CSN (CSNA3) e Gerdau (GGBR4) avançaram 2,01% e 1,45%, respectivamente.

Do lado negativo, destaque para os papéis de frigoríficos, pressionados pela queda do dólar e por expectativas quanto a uma recessão econômica no exterior, visto que suas receitas dependem fortemente de exportações. A Marfrig (MRFG3) foi a segunda maior baixa do dia, com 2,41%.

O Banco do Brasil (BBAS3) também esteve entre os maiores recuos, com 2,12%, em meio a um movimento de realização, apesar do bom desempenho do setor bancário no pregão.

O IRB Brasil (IRBR3) teve mais um pregão de queda, recuando 1,64%, ainda pressionado pela oferta de ações realizada na última quinta-feira, na qual a companhia precificou os papéis em R$ 1,00, que começaram a ser negociados hoje na B3 e terão liquidação física e financeira amanhã.

⬆️ Maiores Altas do Ibovespa

🟢 PCAR3 +9,72%
🟢 PRIO3 +6,45%
🟢 SULA11 +3,77%

⬇️ Maiores Baixas do Ibovespa

🔴 POSI3 -2,68%
🔴 MRFG3 -2,41%
🔴 BBAS3 -2,12%

(Com Agência Estado e BDM Online)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?