Por que vale a pena começar empresas durante uma recessão

im-955527

Uma recessão poderia ser o melhor momento para lançar uma startup de tecnologia?

Um estudo recente sugere que esse é o caso. Os autores descobriram que as startups de tecnologia que começaram a operar durante a recessão de 2007-09 e receberam sua primeira patente nesse período tendiam a durar mais do que as startups de tecnologia fundadas alguns anos antes ou depois. E essas empresas da era da recessão também tendiam a ser mais inovadoras do que o resto.

“O efeito das tendências macroeconômicas nem sempre é intuitivo”, afirma Daniel Bias, professor assistente de finanças na Escola de Pós-Graduação Owen da Universidade Vanderbilt, que co-escreveu o artigo com Alexander Ljungqvist, que ocupa a liderança da cadeira da Família Stefan Persson em finanças empreendedoras na Escola de Economia de Estocolmo.

Com base em dados do Escritório de Patentes e Marcas Registradas dos EUA, os autores examinaram uma amostra de 6.946 startups de tecnologia que foram lançadas e receberam sua primeira aprovação de patente entre 2002 e 2012.

Um grupo cerca de 5.734 empresas foi lançado e obteve sua patente fora da recessão de 2007-09. Desses, cerca de 70% chegaram ao sétimo ano. Mas as startups que foram lançadas e obtiveram sua primeira patente durante a recessão cerca de 1.212 empresas tinham 12% mais chances de estar em atividade em seu sétimo ano.

Essas empresas da era da recessão também tinham mais chances de apresentar uma patente nova e influente após sua primeira. Ou seja, uma patente que os pesquisadores determinaram ser diferente das patentes no mesmo nicho que vieram antes, mas semelhante às que vieram depois.

Então, por que essas empresas da era da recessão superaram seus pares? Os mercados de trabalho desempenharam um papel importante.

A falta generalizada de empregos disponíveis significava que as startups podiam contratar funcionários mais produtivos e inovadores, especialmente em seus grupos de pesquisa e desenvolvimento, e depois mantê-los.

Mais importante, os mercados de trabalho apertados também significavam que os inventores e fundadores as pessoas nomeadas na primeira patente tinham mais chances de permanecer em vez de buscar oportunidades em outros lugares.

Para as startups iniciadas durante a recessão de 2007-09, os inventores fundadores tinham 25 pontos percentuais a menos de chance de sair da empresa nos primeiros três anos. Em média, cerca de 43% dos inventores fundadores de toda a amostra deixaram sua startup nos primeiros três anos.

“Nosso estudo realmente destaca a importância da retenção de mão de obra para startups jovens e inovadoras. Reter os inventores fundadores não apenas pode ajudá-los a sobreviver, mas também a prosperar”, conclui Bias.

 

(Com The Wall Street Journal; título original: Why It Pays to Start Companies in Recessions; tradução feita com auxílio de IA)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?