Próxima semana tem Copom e IPCA de abril; Borges dá gatilho de compra para KLBN11

A partir das cartas de gestores e de pesquisa interna da XP Investimentos, o TradeNews teve acesso às perspectivas das principais gestoras de fundos do Brasil para o cenário político-fiscal do país do próximo ano

Panorama de 6 a 10 de maio

O Ibovespa passou a semana toda em alta, com exceção da terça-feira (30), antes da reunião do Federal Reserve (Fed) e em véspera de feriado no Brasil. 

Após a divulgação do payroll, voltou à tona a perspectiva de que o banco central americano tem espaço para começar a cortar os juros ainda neste ano, fazendo o indice subir mais de 1%, ultrapassando 128 mil pontos, nesta sexta-feira (03).

Na próxima semana, o mercado acompanha o Copom e o IPCA de abril.

Radar de Proventos

Na próxima segunda-feira (06), ficam “ex-dividendos” os ativos da Taesa [TAEE11] e Klabin [KLBN11]. 

Na terça-feira (07) é a vez da Engie [EGIE3]. Já Assaí [ASAI3]* se torna “ex” na quarta-feira (08).

Quinta-feira (09) é dia do Grupo Soma [SOMA3]*, Cruzeiro do Sul [CSED3]* e Cury [CURY3]. 

Por fim, na sexta-feira (10), Cosan [CSAN3]*, Randon [RAPT4]*, Qualicorp [QUAL3]*, Santander [SANB11]* e Eztec [EZTC3] ficam “ex-dividendos”.

*O relatório da Bloomberg aponta que as datas em que estas ações ficam “ex-proventos” são apenas previsões, não estão confirmadas, estando sujeitas a mudanças.

Panorama do Ibovespa

De acordo com o analista técnico Filipe Borges, o Ibovespa vem caminhando para “excelente” fechamento no gráfico diário e semanal. “No gráfico diário, o mercado vai testar a LTB nesse momento”, explicou.

Já no semanal, o analista ressalta que o ativo está em região realmente para voltar a subir, a movimentação parecida com o canal de alta do gráfico semanal, e o mercado “realmente” querendo apontar para cima.

Desempenho diário do Ibovespa em 3 de maio de 2024. [Filipe Borges/TradingView]
Rompendo a LTB – linha de tendência de baixa –, “nós temos uma próxima resistência em 130 mil pontos. Passando disso, máximas somente em 135 mil pontos, com mercado fechando muito bem”, frisou.
 
No geral, ele tem boa perspectiva de alta para os próximos dias e semanas, com suporte principal definido em 122.800 pontos.

Dicas de Trades

OceanPact [OPCT3]

OCPT3 está com uma “bela” movimentação de alta, o ativo em alta no gráfico diário e no semanal também, de acordo com Borges.

Desempenho diário de OPCT3 em 3 de maio de 2024. [Filipe Borges/TradingView]

Além disso, o analista pontua que o papel já confirmou o rompimento de pivô, a resistência em R$ 6,29 atuando como bom suporte. Atualmente, ele continua, no rompimento de R$ 6,60, há espaço para mais altas no ativo, com o próximo alvo em R$ 7,50.

 “Vejo espaço para valorização em torno de 13% a 15% de alta nos próximos dias”, afirmou.

Embraer [EMBR3]

Borges aponta que EMBR3 está em “excelente” movimentação de alta. Caso o ativo rompa R$ 34, abre  espaço para altas mais fortes, com alvo em R$39,42. 
 
Desempenho diário de OPCT3 em 3 de maio de 2024. [Fonte: Filipe Borges/TradingView]
O ativo fez um rompimento no gráfico diário, semanal e também mensal, com “excelente” movimentação gráfica, e entrada de fluxo comprador, segundo o analista.
 
“O stop inicial desse ativo ficaria, para quem quiser trabalhar com o stop mais longo, abaixo de R$30,50, e stop mais curto, abaixo de R$32,50″, sugeriu.

Klabin [KLBN11]

Segundo o analista, Klabin faz boa correção do ativo no gráfico semanal, após alta movimentação de compra. 

Desempenho semanal de KLBN11 em 3 de maio de 2024. [Filipe Borges/TradingView]

Com o movimento da máxima desta semana na região ente R$ 23,50 e R$ 23, 60 centavos, Borges indica o stop abaixo de R$ 22,85, e primeiro alvo na resistência em R$ 25,30. 

Em caso de rompimento, o alvo principal ficaria entre R$ 29 e R$ 31,60. 

“Estou de olho para compras na próxima semana”, concluiu.

Indicadores econômicos

Em meio ao aumento das incertezas no cenário americano e o alongamento do ciclo de política monetária restritiva do Fed, o analista da Benndorf Research Marco Ferrini espera reflexos negativos na condução da política monetária brasileira. 

Ele antecipa redução de 0,25 p.p. na taxa de juros brasileira na reunião de maio, contrariando o comunicado inicial do Comitê, indo mais em linha com o aumento do balanço de riscos externo, e com o posicionamento mais hawkish de Campos Neto em entrevista há algumas semanas.

Ainda assim, tendo em mente as poucas intervenções no mercado para conter o câmbio e os juros futuros, o analista não vê os riscos internos bastante controlados com a inflação dentro do intervalo da meta e um alinhamento entre Ministério da Fazenda e Banco Central.

“Portanto, esperamos que o Copom siga reduzindo a taxa Selic em 0,25 p.p. até o fim do ano, resultando em uma taxa terminal de 9,25% ao fim de 2024”, adicionou.

Já o IPCA deve continuar com variação mais baixa em abril e seguir convergindo para o centro da meta no indicador acumulado em 12 meses, segundo Ferrini.

O analista espera que as atividades de alimentação e bebidas, e saúde e cuidados pessoais continuem figurando como as de variação mais expressiva, a primeira ainda refletindo impactos climáticos principalmente na região sul e em partes do centro-oeste e sudeste, enquanto a segunda é alavancada pelos reajustes de 4,5% nos produtos farmacêuticos promovido em 31 de março, e nos planos de saúde, que continuam incorporando suas frações mensais. 

Por outro lado, ele aponta que os transportes tendem a ser a principal variação negativa em função da queda nos preços das passagens aéreas.

Por fim, prossegue o analista, os impactos climáticos causados pelo El Niño devem se dissipar nos próximos meses, mas podemos ver efeitos negativos causados pela La Niña, que já está praticamente confirmada para o segundo semestre. 

“De todo modo, ainda seguimos com perspectivas positivas para a inflação brasileira, algo que colabora para manter a percepção de risco interno baixa, aliviando parte da pressão sobre o Copom, que tem agora os riscos externos como foco”, concluiu.

Calendário Macroeconômico

Hora

País

Evento

Segunda-feira

5h

8h25

8h30

10h

Zona do Euro

Brasil

Brasil

Brasil

PMI

Boletim Focus

PIB

PMI

Terça-feira

Quarta-feira

8h

9h

18h

Brasil

Brasil

Brasil

IGP-DI

Vendas no varejo

Selic

Quinta-feira

8h

Reino Unido

Decisão monetária

Sexta-feira

3h

3h

9h

11h

22h30

Reino Unido

Reino Unido

Brasil

Estados Unidos

China

PIB

Produção industrial

IPCA

Expectativa de inflação (Michigan)

IPP

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?