Ibovespa avança em meio a otimismo doméstico, descolado dos principais índices de NY; recuo do minério de ferro derruba ações do setor

business-5475664_960_720

O Ibovespa fechou em alta nesta segunda-feira (19), com investidores ainda de olho em questões políticas. O foco de hoje foi no anúncio de novos nomes que farão parte da equipe econômica de Fernando Haddad, futuro ministro da Fazenda, e o mercado também “digeriu” tanto a decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF, de retirar os gastos com o Bolsa Família do teto quanto a votação pela inconstitucionalidade do orçamento secreto pela Corte. O desempenho foi descolado dos principais índices de Nova York, que recuaram na sessão.

Os grandes bancos sustentaram a alta do Ibovespa, balanceando o forte recuo de papéis ligados ao minério de ferro, que acompanharam a queda da commodity de referência em Cingapura.

A queda dos juros futuros também favoreceu o índice doméstico, especialmente as varejistas e as techs, mais sensíveis a movimentações dos DIs. O recuo foi potencializado pelas declarações de Haddad de que o novo governo pode ter um cenário de sustentabilidade fiscal já em janeiro, mas os nomes a serem anunciados pelo futuro ministro ficaram para amanhã. Apesar disso, o otimismo com a possível seleção de escolhas “técnicas” animou os investidores.

No lado político, diferentes interpretações movimentaram o mercado: a decisão monocrática do ministro Gilmar Mendes significa que o novo governo não mais depende da aprovação da PEC da Transição, o que deve diminuir a força política do Centrão para a realização de exigências.

O dólar fechou em alta, com operadores monitorando questões políticas com desdobramentos para o lado fiscal. O mercado segue atento aos nomes indicados para compor a equipe econômica do novo governo Lula.

📊 Ibovespa 104.739,75 pontos (+1,83%)
💰 Volume R$ 24,5 bilhões
💵 Dólar R$ 5,3090 (+0,28%)

Um dos destaques da sessão foi a Qualicorp [QUAL3], que disparou 14,68% após a aprovação da aquisição da SulAmérica [SULA11] pela Rede D’Or [RDOR3] por parte da ANS com certas restrições. Os papéis das envolvidas no negócio tiveram altas de 5,20% e 5,09%, respectivamente.

No que se refere à primeira companhia, uma das condições é que o representante da Rede D’Or em seu Conselho de Administração se abstenha de votar em assuntos relacionados à operadora no conglomerado SulAmérica.

As varejistas também dispararam hoje e figuraram entre os principais avanços do dia, com Via [VIIA3] liderando os ganhos com 16,23%. O setor foi beneficiado pela queda dos juros futuros ao longo da sessão, em meio ao anúncio de novos nomes pelo futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para sua equipe econômica.

Americanas [AMER3] e Magazine Luiza [MGLU3] tiveram altas de 12,65% e 10,13%, respectivamente.

A Natura [NTCO3] fechou em alta de 3,33%, após registrar queda durante boa parte da manhã, pressionada pela notícia de litígio contra sua controlada nos EUA, a Avon Products Inc. API, acusada de vender produtos contaminados com amianto. De acordo com Bruna Sene, da Nova Futura, a virada está relacionada com o bom desempenho do setor em geral e pela busca de investidores por ativos descontados.

Os papéis do BTG Pactual [BPAC11] também foram favorecidos pela busca por “pechinchas” e subiram 2,65%. O setor bancário como um todo registrou bom desempenho, com Itaú [ITUB4] e Santander [SANB11] avançando 3,00% e 2,57%, respectivamente, enquanto Banco do Brasil [BBAS3] registrou ganhos de 1,07%.

Outra a figurar em território positivo foi a Eletrobras, com seus papéis ON [ELET3] subindo 1,73%, enquanto os PNB [ELET6] tiveram ganhos de 3,11%. Investidores reagem positivamente ao acordo de permuta de ações firmado pela hidrelétrica com a Neoenergia [NEOE3], que registrou alta de 1,59%. O negócio teve aval positivo do Morgan Stanley, apesar do volume considerado pequeno para a troca de ativos.

Na ponta negativa, as mineradoras e siderúrgicas estiveram em evidência, em meio à forte queda da commodity de referência na bolsa de Cingapura, de 3,1%. A Vale [VALE3], que possui forte peso de negociação no índice, caiu 0,36%, enquanto CSN [CSNA3] e Gerdau [GGBR4] recuaram 2,01% e 1,39%, respectivamente.

A Usiminas [USIM5] foi a maior queda do dia, com 6,12%. Além da queda do minério, o JPMorgan também rebaixou sua recomendação para os papéis da companhia de “outperform” (equivalente a compra) para “neutra”, cortando o preço-alvo de R$ 12,00 para R$ 8,50.

A PetroRio [PRIO3] destoou do restante do setor, que foi impulsionado pela alta da commodity de referência no mercado internacional, e fechou em queda de 3,04%.

⬆️ Maiores altas do índice

🟢 VIIA3 +16,23%
🟢 QUAL3 +14,68%
🟢 AMER3 +12,65%

⬇️ Maiores baixas do índice

🔴 USIM5 -6,12%
🔴 SLCE3 -3,18%
🔴 RRRP3 -3,04%

(Com Agência Estado e BDM Online)

Compartilhe em suas redes!

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
PUBLICIDADE

Matérias Relacionadas

PUBLICIDADE

Assine o TradeNews Express!

PUBLICIDADE

A Newsletter mais completa do mercado está de cara nova!

Preencha o formulário e cadastre-se para receber todos os dias.

Saiba os meses que as empresas devem pagar proventos em 2024 e monte sua carteira vencedora

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?